Abertas as inscrições para as oficinas gratuitas do Festival Literário de Itajaí

0


Estão abertas as inscrições para as seis oficinas gratuitas do 4º Festival Literário de Itajaí (FLI), que ocorrerão entre os dias 27 de novembro e 05 de dezembro. As formações serão no ambiente on-line, em salas fechadas na plataforma Zoom, com público limitado (30 pessoas). Os interessados podem se inscrever até as 23h59 de quinta-feira (25), enquanto houver disponibilidade, clicando neste link.

Convidados de renome nacional conduzirão as oficinas desta edição do festival, que são chamadas na programação do evento como “janelas práticas”, em consonância com o tema do festival intitulado “janelas abertas”. As propostas destinam-se a pessoas com mais de 18 anos.

Confira os detalhes de cada oficina:

HAICAI – UMA FREQUÊNCIA COM A NATUREZA – Alvaro Posselt (Curitiba/PR)
27/11 e 04/12 – 14h às 16h (2 sábados)
O haicai é uma forma de poesia praticada no Japão há séculos, tendo como seu maior expoente Matsuo Bashô. No Brasil, chegou com a imigração japonesa a partir de 1908 e se difundiu através das colônias e dos literatos. Além de tratar de características como estrofe, verso, métrica, rima, ritmo, essa forma poética aborda a natureza como tema. O objetivo da oficina é incentivar o participante à prática poética, leitura, produção textual, observação, contemplação e percepção dos elementos da natureza e sua identidade sazonal.

Alvaro Posselt é poeta curitibano. Tem nove livros publicados, todos de haicai. Seus poemas aparecem na capital paranaense através de vitrais e grafites. Transformou sua casa em espaço cultural, a Casa Posselt, onde recebe escolas para oficinas e promove outras atividades culturais. De forma voluntária, faz oficinas de haicai em escolas públicas há quase dez anos.

O POETRY SLAM E A PERFORMANCE DA POESIA FALADA – Rogério Coelho (Belo Horizonte/MG)
27/11 e 04/12 – 16h às 18h (2 sábados)
O Poetry Slam, ou simplesmente Slam, é uma competição de poesia falada que já acontece no mundo inteiro há mais de 30 anos. Poetas se revezam ao microfone, recitando textos autorais de até 03 minutos, sem uso de figurino, elemento de cena ou acompanhamento musical. São convidadas, entre o público, pessoas “juradas” que dão notas de 0 a 10 para as performances. No final, vence quem tiver a maior nota nas três rodadas. A oficina para o Festival Literário de Itajaí vai abordar a trajetória do Slam no Brasil com foco nas performances de poetas participantes e vencedoras/es. Além disso, no segundo encontro, será realizado um Slam com todas as pessoas participantes, a partir das produções de escrita criativa e poesia falada trabalhadas ao longo da oficina.

Rogério Coelho é poeta, dramaturgo, articulador do Coletivoz Sarau de Periferia desde 2008 e Slammaster do Slam Clube da Luta e SLAM MG, desde 2014, de Belo Horizonte. Graduado em Letras pela PUC-MINAS, é Mestre em Artes pela EBA-UFMG, com a pesquisa em performance da poesia oral Sarau Coletivoz e Slam Clube da Luta. É Doutorando pela FALE-UFMG, com a pesquisa nas “Afrografias” de performances negras nos Slams.

A ARTE DE ENCANTAR PALAVRAS: CRIAÇÃO E EXPRESSÃO – Felícia Fleck (Florianópolis/SC)
28/11 e 05/12 – 8h às 10h (2 domingos)
A oficina tem como objetivo propiciar o contato dos participantes com a oralidade, a literatura e o lúdico, por meio de jogos e brincadeiras com as palavras, a escrita criativa e a expressão oral, como possibilidade de encontro com a própria história. Ao manifestar o contador de histórias que cada um traz em si, pretende-se estimular a criatividade, valorizar a singularidade e a subjetividade nas relações consigo e com o outro e fortalecer a autoestima.

Felícia Fleck se dedica profissionalmente a contar histórias para crianças, jovens e adultos há 16 anos. Compartilha essa experiência em oficinas, cursos e palestras, incentivando o despertar de novos contadores e mediadores de leitura. Participou de projetos, eventos e festivais em várias partes do Brasil, na Espanha e no Chile. Além de contadora de histórias, é professora e escritora. Graduada em Biblioteconomia e doutora em Ciência da Informação pela UFSC. Seu foco atual de estudos é a Contoterapia.

A NOVA ARTE DE FAZER LIVROS PARA A INFÂNCIA – Tino Freitas (Brasília/DF)
28/11 – 10h às 12h (domingo) e 01/12 – 19h às 21h (quarta-feira)
A partir da apresentação de livros ilustrados voltados para a infância, publicados nos últimos 10 anos, de leituras críticas evidenciando o que é Literatura Infantil e da própria experiência do autor, essa oficina propõe ampliar o olhar dos alunos sobre o que é o Livro Ilustrado, além de sugerir a criação de uma narrativa curta voltada para a infância, em que haja uma relação intrínseca entre texto e imagem. A oficina acontecerá em dois encontros de 120 minutos, cada, sendo o primeiro voltado às questões teóricas e o segundo, voltado para discutir a prática proposta.

Tino Freitas é escritor, jornalista, contador de histórias e mediador de leitura do projeto Roedores de Livros, no Distrito Federal, premiado em 2011 pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil como O Melhor Programa de Incentivo à Leitura para Crianças e Jovens. Tem mais de 20 livros publicados. Suas obras caracterizam-se pelo humor, a crítica social e o experimento com o suporte (papel/folha/livro objeto) como importante elemento condutor da narrativa. Alguns dos seus títulos já receberam importantes prêmios e integram seleções de destaque nacional. Também tem obras distribuídas em programas de leituras como PNBE, PNAIC e PNLD Literário e o LEIA PARA UMA CRIANÇA.

CRIAÇÃO LITERÁRIA – Marcelino Freire (Sertânia/PE, mas mora em São Paulo/SP)
28/11 e 05/12 – 14h às 16h (2 domingos)
A partir das questões apresentadas em sala virtual que Marcelino Freire trabalhará o repertório, a linguagem e os projetos literários dos participantes, não importando o gênero literário. Haverá dicas de leituras e discussão de todas as frentes de batalha de um livro, desde sua escrita até sua publicação. Um passeio pela escrita literária.

Marcelino Freire é escritor e autor dos livros “Angu de Sangue” e “Contos Negreiros” (Prêmio Jabuti 2006), este último publicado também na Argentina e no México. Em 2004, idealizou e organizou a antologia de microcontos “Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século”. Alguns de seus contos foram adaptados para teatro. Participou de várias antologias no Brasil e no exterior. Criou a Balada Literária, evento que acontece em São Paulo, desde 2006, com edições em Teresina (desde 2017) e Salvador (desde 2015). No final de 2013, publicou seu primeiro romance intitulado “Nossos Ossos” (Prêmio Machado de Assis), publicado também na Argentina, na França e em Portugal. Em 2018, lançou o livro “Bagageiro”, que reúne o que ele chama de “ensaios de ficção”. Coordena oficinas de criação literária desde o ano de 2003.

INOVAÇÃO NO MERCADO EDITORIAL – Camila Cabete (São Paulo/SP)
28/11 e 05/12 – 16h às 18h (2 domingos)
A oficina vai abordar o panorama do mercado de conteúdo digital no Brasil, os desafios, os tipos de produto e de remuneração. Também abordará editoração, conteúdo, novos talentos, referências locais, bem como o varejo de produtos editoriais digitais.

Camila Cabete tem formação em História. Foi pioneira no mercado editorial digital no Brasil. É a nova Head de Conteúdo da Árvore, editora na Leya Brasil e é a podcaster e idealizadora do Disfarces Podcast.