Amaldiçoados são os corruptos e quem os apoia

0 354

Itapema: A Corrupção é um dos piores males da era contemporânea, ela afeta em cheio o sistema de justiça, ela é uma espécie de enfermidade crônica e sem previsão de cura, cravada no DNA, como disse o profeta, “o mundo jaz no maligno” na visão do profeta, uma pessoa pertence a Deus, ou ela pertence ao sistema corrupto e iníquo deste mundo que é dominado pela maldade.

Alerta o profeta, “fuja da aparência do mal”, a corrupção é reluzente como a esmeralda e mais potente que a sede no deserto, seu poder de contágio é semelhante o raio de luz e tão penetrante quanto o raio gama, tão envolvente  como o Maná, e tão poderosa quanto o abraço da serpente,  suas facetas se apresentam de todos os modos, até mesmo a íntegra que compõem os elementos podem abalar-se na sua interpretação e fundir-se a ela, como nas tempestades, os raios são a forças motrizes que geram as destruições pelo simples movimentos centrífuga da causa,  efeitos e consequências,  assim é o perigo da corrupção, quando de modo irresponsável não é antevisto!

A corrupção, nasceu com o malfeitor Lúcifer em um universo distante, dele foi dito: “O teu coração enalteceu-se por causa da tua beleza; tu “corrompeste” a tua sabedoria em vista do teu esplendor”. O vosso profeta de outrora percebeu esse triste estado, quando escreveu: “De que modo tu caíste dos céus, ó Lúcifer, filho da manhã! Tu que ousaste confundir os mundos, como foste abatido!”

Falar da corrupção é necessário buscar a raiz, sua semente, o que levou um Ser de Luz, arrastar uma terça parte dos anjos para as trevas, travar um conflito sem precedentes, uma guerra terrível, muito real, pondo em risco toda uma organização perfeita e levando parte dela as ruínas.

Diz o profeta, que só um meio para fugir da corrupção: “Aquele que nasceu de Deus, guarda-se, e o maligno e o mal não toca nele”. É também verdade que o mandamento dito pela profeta, ‘não roubar’ é dito que pai dos ladrões é o maligno, repreendo e adverte o Profeta “o caminho do transgressor é duro”; “pois dentro de cada crime está oculta a semente da sua própria destruição”; e que a recompensa do crime é cadeia e do pecado a morte”.

Nós homens, somos lentos em perceber o contraste entre a perfeição e a imperfeição gera o mal potencial; que o conflito entre a verdade e a falsidade produz a confusão do erro; que o dom da escolha, do livre-arbítrio, pode levar aos domínios divergentes de pecado; que a busca persistente do bem conduz a luz, ao contrário conduz aos domínios da iniquidade e da perversidade.

Dela falou também o Profeta, a falsa liberdade é o engano sutil do erro que é cerne da corrupção, no tempo, e do mal, no espaço. A liberdade que perdura, funda-se na realidade da justiça, inteligência, maturidade, fraternidade e eqüidade. A liberdade torna-se suicida, diz o Profeta, quando divorciada da justiça material, da honestidade intelectual, da paciência social, do dever moral e de valores espirituais.  A liberdade motivada apenas no ego é uma ilusão conceitual, um engano cruel. E a licenciosidade mascarada com a veste da liberdade é precursora de uma escravidão abjeta, isto é o DNA da corrupção na mente humana!

Não há erro maior do que a prática de enganar a si próprio, ser corrupto contumaz e corromper seus semelhantes, ser corrupto é inversão do bem moral, apoiar um corrupto e tão igual danoso quanto, o que leva os seres inteligentes a aspirarem ao exercício do poder sobre outros seres, isto é uma maldição, sabendo do resultando que a propósito é privá-los das suas liberdades naturais, matérias e espirituais.

Contudo, o que diz as leis humanas, nos países ou na maioria do ocidental tipifica a corrupção como crime passivo de cadeia, prisão perpetua e até pena perpetua, “A regra de ouro da justiça humana põe-se contra todas essas fraudes, injustiças, egoísmos e falta de retidão. Só a liberdade genuína e verdadeira é compatível com a prática do amor e o ministério da misericórdia e exige punição aos malfeitores.

Não há algo mais terrível que a corrupção impregnada em uma personalidade humana, nenhum ser neste globo, fora dele, no espaço exterior, possui liberdade, por direito, de privar qualquer outro ser da verdadeira liberdade, do direito de amar e ser amado, do privilégio de ser justo e de servir aos seus semelhantes com retidão e justiça.

A corrupção é a personificação do mal, vence-la é um desafio de Eras no tempo, que deve ser combatida por todo Ser humano dotado do Espírito Deus, do contrário, ela é pertence ao sistema corrupto e iníquo deste mundo que é dominado pela maldade”.

Itapema, 09 de Março de 2020

José Santana – jornalista/DRT3982/SC

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.