Baleias, cubos, curva ciclóide, cupcake. Feira regional de matemática seleciona trabalhos para etapa estadual

0


A VII Feira Regional de Matemática, organizada pela Secretaria de Educação da Capital, classificou cinco trabalhos de unidades educativas da rede municipal de ensino de Florianópolis para a 36ª Feira Catarinense, além de outros dois trabalhos de profissionais da rede nas categorias ensino superior e comunidade.

“O fantástico mundo das baleias”, “Cubo matemágico”, “O que é o código binário?”, “A magia da curva ciclóide, “O mundo das medidas”, “Processo de construção de itens para avaliação diagnóstica em matemática” e “‘Bicho de pé’: doce matemática” participarão do evento online nos dias 2 e 3 de dezembro.

Por ser uma feira regional, outros três trabalhos do município de Palhoça também representarão a região da grande Florianópolis. São eles: “Função exponencial”, “Princípio de Cavalieri” e “A matemática do cupcake”.

A próxima etapa organizada pela Comissão Permanente das Feiras de Matemática de Santa Catarina em conjunto com a Sociedade Brasileira de Educação Matemática, Universidade Regional de Blumenau, Instituto Federal Catarinense, Instituto Federal de Santa Catarina e Universidade Federal de Santa Catarina – Campus Blumenau.

Para o secretário de Educação da Capital, Maurício Fernandes Pereira, as feiras destacam o protagonismo dos estudantes e professores. E complementa. “Esses eventos dão visibilidade como os conhecimentos de Matemática, das Ciências e Linguagens estão presentes nos diversos espaços sociais, e auxiliando na compreensão do mundo e na tomada de decisões, contribuindo para formação humana integral”.

A professora de Matemática e assessora da Diretoria de Educação Fundamental da Secretaria de Educação de Florianópolis, Emiliana Aparecida Corrêa, ressalta que “foram dez dias de muitas vivências pedagógicas compartilhadas e que contou com um processo de avaliação com 82 avaliadores de instituições de vários municípios de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná”.

O fantástico mundo das baleias

Pelos anos iniciais do ensino fundamental foi selecionado o trabalho da dupla Davi Lucca Alves Rossi e Alyce Gonçalvez Carvalho Dias, da Escola Básica Municipal Herondina Medeiros Zeferino, em Ingleses. É deles “O fantástico mundo das baleias”.

Foram apresentadas noções de comprimento, de massa, de superfície, de volume e relacionadas com medidas que são significativas para os estudantes do primeiro ano. Essas noções foram exploradas para consolidar aspectos dos sistemas de numeração decimal e de escrita.

No sistema de numeração decimal explorou-se sistematicamente e intensamente o agrupamento, a troca, o registro e a representação numérica de cada grandeza explorada. A orientação foi da professora Isabela Santos Silva.

Cubo matemágico e O que é o código binário?

Três trabalhos dos anos finais estarão na feira estadual. Um deles é “Cubo matemágico”, da EBM Luiz Cândido da Luz, na Vargem do Bom Jesus. As expositoras Mariana Correa Pedroso e Yasmim de Oliveira Santos representaram a sua turma do sexto ano.

O trabalho foi desenvolvido sob a orientação da professora Carla Peres Souza. O grupo construiu cubinhos de papelão, aproveitando os rolinhos de papel higiênico que seriam descartados pelas famílias. Esse recurso, que seria transformado em lixo, tornou-se um material didático para trabalhar as operações matemáticas em sala de aula.

A partir da manipulação dos cubinhos, os estudantes elaboraram diferentes representações de multiplicações, divisões, potenciações e raízes, associando ao sistema de registro matemático dessas operações.

“O que é o código binário? ”leva a assinatura de Samuel Monteiro França, do sexto ano da EBM Luiz Cândido da Luz.

O trabalho iniciou a partir de um debate que abordava a evolução e utilização dos números, inclusive na linguagem utilizada nos computadores. O estudante Samuel Monteiro França contou para os colegas e para a professora que conhecia o código binário e se dispôs a preparar uma apresentação para turma, mostrando seus conhecimentos relacionados à programação de computadores.

A partir disso, sob orientação da professora Carla Peres Souza, realizou a pesquisa e elaborou o material sobre o código binário para apresentar para a sua turma, explicando como realizar as operações de adição, multiplicação e potenciação nas transformações de números entre as bases decimal e binária.

 

 

 

 A magia da curva ciclóide

A EBM Tapera – Escola do Futuro classificou “A magia da curva ciclóide”, do expositor Nickolas Ribeiro Leal, do sétimo ano, sob a orientação da professora Eliandra Moraes Pires.

Este trabalho foi realizado durante os encontros do Clube de Matemática por estudantes interessados em elaborar e construir uma minipista de skate no modelo Vertical HalfPipe. Inicialmente, os estudantes fizeram pesquisas para saber quais as matemáticas presentes nesse modelo de pista e chegaram à curva cicloide.

Para compreender do que se tratava, buscaram na história da Matemática o contexto em que a Curva Cicloide surgiu e os principais cientistas que estavam envolvidos. Ao perceberem que se tratava de uma matemática bastante complexa, optaram pela construção geométrica para desenhar a curva e criar um molde para a confecção da pista.

Diferentes recursos foram utilizados, desde um software de geometria dinâmica até régua e compasso. Durante as pesquisas, os estudantes se depararam com dois problemas clássicos: A Braquistócrona e a Tautocrona. Através de um experimento chegaram às respostas dos problemas.

 

 

Mundo das medidas

Na categoria de professor, o selecionado foi de Janaína Alflen Mendes, da EBM Herondina Medeiros Zeferino. Ela inscreveu o trabalho “O mundo das medidas”.

O trabalho foi desenvolvido no ano de 2020 e num contexto pandêmico em que as escolas precisaram ser fechadas e as aulas tiveram de ser remotas.

A professora postou num canal no Youtube para se aproximar dos estudantes. Muitos foram os desafios. Janaína percebeu que não era só gravar e sair falando qualquer coisa.  Teve que estudar muito, fazer roteiros, aprender a editar.

Mas isso ainda não era tudo. Precisou criar estratégias que esses vídeos se tornassem divertidos, curtos e com um conteúdo adequado e científico.

Desta maneira, surgiu “O mundo das medidas”.

Em 2021, na EBM Adotiva Liberato Valentim, a professora utilizou vários desses vídeos, tanto no material produzido para as aulas remotas quanto para as aulas presenciais.

Processo de construção de Itens para avaliação diagnóstica em matemática

 

 

O trabalho é fruto da pesquisa de mestrado da professora de Matemática da Prefeitura de Florianópolis Emiliana Aparecida Corrêa e objetivou construir um banco de itens para composição de uma avaliação diagnóstica de proficiência em matemática para alunos do 6º ano do ensino fundamental.

A pesquisa foi desenvolvida junto aos professores de Matemática e pedagogos regentes do 5º ano da rede municipal de ensino em 2019. Como resultados, obteve-se um banco com 90 itens com evidências de validade de conteúdo que poderão ser utilizados para fazer o diagnóstico acerca do nível de conhecimento de matemática dos estudantes.

Bicho de Pé: doce matemática

O projeto foi desenvolvido na aula de reforço escolar de estudante Laura Ferrigatti Honorato, do 3º ano da EBM Osvaldo Machado, sob a orientação da pedagoga da rede, Jaqueline Maria Coelho Maciel. A estudante conversava com a professora sobre uma festa que havia participado e do seu doce preferido “Bicho de pé”.

A professora questionou se ela sabia o porquê deste nome do doce, e em resposta negativa, incentivou-a a descobrir através da pesquisa. Durante a pesquisa se depararam com a receita e imagem de docinhos em um prato. A estudante iniciou na imagem uma divisão dos docinhos entre as duas.

Neste momento, a professora percebeu que poderia ser um excelente caminho para se aproximar da divisão e das noções de medidas de capacidade e de massa, de forma significativa e divertida. Convidou a estudante para participar da elaboração da receita, o que oportunizou o conhecimento sobre medidas padronizadas e não padronizadas, bem como da divisão a partir dos doces elaborados.

Função exponencial

 

 

A estudante Maria Alice Jung, com orientação do professor Djeison Machado, da Escola Estadual Professor Benonivio João Martins, de Palhoça, abordou o conceito e a representação gráfica das funções exponenciais. Em vídeo, Maria Alice utilizou materiais simples como folhas, canetas hidrográficas e régua, para apresentar de forma objetiva um dos temas de estudo do primeiro ano do ensino médio que costuma causar calafrios em alguns estudantes.

A produção mostra através de dois exemplos como construir no plano cartesiano os gráficos desses tipos de funções, utilizando não só a definição de função exponencial, mas também algumas propriedades da potenciação.

Princípio de Cavalieri

A dupla Roberta Helena Martins de Souza e Rafaela Pitz, do terceiro ano do ensino médio da Escola Estadual Benonívio João Martins, em Palhoça, sob orientação do professor Djeison Machado, produziu um vídeo sobre o “Princípio de Cavalieri”. Através de figuras presas em palitos, como num teatro, as estudantes apresentam figuras geométricas, memes e personalidades da matemática que estudaram a relação entre os volumes dos sólidos geométricos.

Além disso, o vídeo ainda mostra como resolver problemas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que exigem o conhecimento do princípio matemático tratado em questão. As estudantes demonstram como é possível relacionar conceitos difíceis da matemática com humor e criatividade através de uma produção leve e de fácil compreensão.

A matemática do cupcake

 

 

O trabalho * “A matemática do cupcake” é uma proposta pedagógica que foi desenvolvida em uma turma de 6º ano, da escola CAIC, que pertence à rede municipal de ensino de Palhoça, com orientação da professora de Matemática Karina Zolia Jacomelli Alves.

O objetivo foi de trabalhar diferentes conteúdos matemáticos por meio da resolução de problemas, dentre eles o conceito e as operações com números racionais, medidas de massa e capacidade, proporcionalidade e estratégias de cálculo mental. Essa proposta pedagógica, após algumas adaptações, pode facilmente ser levada para qualquer ano do ensino fundamental.