Ciclo de seminários ressalta importância da ciência para o desenvolvimento

0 101


Com a presença do ex-ministro da Educação e atual presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SPBC), Renato Janine Ribeiro, a Escola do Legislativo Deputado Lício Mauro da Silveira deu início, na tarde esta segunda-feira (20) ao ciclo de seminários virtuais com o tema “Escola é Lugar de Ciência”, realizado em parceria com a Comissão de Educação, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa.

Na abertura, a deputada Luciane Carminatti (PT), presidente da comissão e coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Ciência na Escola, lembrou que o cicloé resultado de um evento organizado na Assembleia Legislativa, em agosto de 2019, no qual um dos encaminhamentos foi justamente a abordagem do tema, por meio dos seminários.

“Este ciclo de seminários ocorre num momento muito importante”, afirmou Luciane. “Estamos vivendo uma situação extraordinária do ponto de vista de reafirmação do papel do conhecimento científico.”

A parlamentar também relatou a valorização da ciência no ambiente escolar passa pela construção de políticas públicas para o desenvolvimento de uma cultura científica nas escolas de ensino básico, pelo aperfeiçoamento das práticas curriculares para contemplar todas as dimensões do conhecimento científica e pela construção de programas de incentivo à pesquisa científica nas escolas.

Convidado para a abertura do ciclo de seminários, o ex-ministro da Educação Renato Janine Ribeiro ressaltou que a escola é o local onde crianças e jovens devem entrar em contato com as descobertas científicas que foram avalizadas, e não com fantasias, ficções ou invenções. Para isso, é importante também mostrar que a ciência não corresponde à verdade absoluta e vive imersa em polêmica e questões que dividem os cientistas.

“A ciência foi capaz de refutar uma série de mentiras [sobre a pandemia da Covid], mas ainda continuam muitas dúvidas. Estamos em plena discussão sobre qual deve ser a vacina para dar a terceira dose nas pessoas imunossuprimidas e mais velhas”, exemplificou.

Ribeiro recomendou que, em especial no ensino médio, os alunos façam experiências cientificas. “Um problema do nosso ensino de ciências é que às vezes ele tem muitas palavras e pouca ação. As pessoas não colocam a mão na prática, que é uma forma muito inteligente de se aprender.”

Para o atual presidente da SBPC, a formação em ciência permitirá à juventude mais aptidão para novas descobertas científicas e para novas invenções científicas, importantes para o desenvolvimento do país. “A escola é o lugar que as pessoas têm que ter acesso a esse conhecimento qualificado, que dissipa a ignorância, a superstição, e faz com que um país avance.”

O secretário de Estado da Educação, Luiz Fernando Vampiro, também participou da abertura do ciclo de seminários. Ele comentou sobre o reposicionamento da educação pública catarinense, que passa pela valorização do conhecimento científico, com investimentos em laboratórios de química, matemática, física, biologia e espaços makers, em 2022, em escolas mantidas pelo estado, além da implantação do novo ensino médio em 111 unidades.

“Com esses investimentos, com esse olhar diferenciado, nós contribuímos para a evolução da educação catarinense, para que tenhamos um futuro mais próspero, mais justo e principalmente com mais igualdade social e financeira”, disse o secretário.

Programação
O ciclo de seminários “Escola é Lugar de Ciência” terá mais quatro encontros, entre os dias 22 e 29 deste mês, sempre às segundas, quartas e sextas. Um dos objetivos dos seminários é discutir o papel da escola ao longo da história e na sociedade contemporânea, de forma a embasar uma legislação que garanta a formação científica de qualidade nas escolas catarinenses. O evento será transmitido no YouTube da Escola.

No total, os palestrantes vão formular propostas para temáticas estruturantes, na perspectiva educacional, considerando os desafios conjunturais. Também vão revisar a compreensão dos elementos básicos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) em sua concepção sobre a prática pedagógica e sobre as reflexões que as mesmas suscitam e requerem, além de debater e propor atividades de experimentação científica no contexto das escolas como estratégia de aprendizado integrada ao currículo, permitindo estabelecer, através dela, a apropriação crítica do saber.

O seminário oferece certificado de 14 horas-aula mediante assinatura de presença durante a transmissão. Inscrições no link escola.alesc.sc.gov.br/eventos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.