CONHEÇA A HISTÓRIA DO CARNAVAL NO BRASIL

Para Pensar: *Temos que entender que nossos pensamentos são nossos recursos mais preciosos. Tudo... começa lá. A certa altura, um pensamento se torna um sonho... e é aí que a mágica começa. O sonho de um homem ou o sonho de uma mulher é tão poderoso que pode mudar o mundo. Nós já vimos isso acontecer na história repetidas vezes. Eles eram possíveis? A Magica se torna realidade *

0 158

Ó abre alas
Que eu quero passar
Ó abre alas
Que eu quero passar

Eu sou da Lira
Não posso negar
Eu sou da Lira
Não posso negar

A história do carnaval no Brasil iniciou-se no Período Colonial. Uma das primeiras manifestações carnavalescas foi o entrudo, uma festa de origem portuguesa que, na colônia, era praticada pelos escravos. Estes saíam pelas ruas com seus rostos pintados, jogando farinha e bolinhas de água de cheiro nas pessoas. Tais bolinhas nem sempre eram cheirosas. O entrudo era considerado ainda uma prática violenta e ofensiva, em razão dos ataques às pessoas, mas era bastante popular.

Isso pode explicar o fato de as famílias mais abastadas não comemorarem com os escravos, ficando em suas casas. Porém, nesse espaço, havia brincadeiras, e as jovens moças das famílias de reputação ficavam nas janelas jogando águas nos transeuntes.

Vânia Rodrigues (47) 3341-1197 (47) 9165-8005 (47) 9681-0021 ** Colunas Sociais** http://vr-concursos-sc-brasil.blogspot.com escolaprettywoman@hotmail.com vaniarodrigues1409@hotmail.com

Por volta de meados do século XIX, no Rio de Janeiro, a prática do entrudo passou a ser criminalizada, principalmente após uma campanha contra a manifestação popular veiculada pela imprensa. Enquanto o entrudo era reprimido nas ruas, a elite do Império criava os bailes de carnaval em clubes e teatros. No entrudo, não havia músicas, ao contrário dos bailes da capital imperial, onde eram tocadas principalmente as polcas.

A elite do Rio de Janeiro criaria ainda as sociedades, cuja primeira foi o Congresso das Sumidades Carnavalescas, que passou a desfilar nas ruas da cidade. Enquanto o entrudo era reprimido, a alta sociedade imperial tentava tomar as ruas.

A jornalista Jackie Rosa é eleita presidente da Associação dos Colunistas e Jornalistas Sociais e Mídia Eletrônica de Santa Catarina e o comunicólogo Carlos Büst é eleito vice-presidente para gestão 2019 a 2021. A chapa União foi aclamada com unanimidade . Parabéns a nova diretoria
Com a filha Eduarda e a esposa Cleusa. Zeca Firmo comemora mais um ano de vida. Parabéns Colhendo mais uma rosa no Jardim da vida.
Os vivas vão para Conceição de Souza Oliveira. Um beijo enorme.
Uma leitora dessa social bem de pertinho lá de Vila Velha ( espirito santo) . Também comemora níver. Parabéns sua linda. Denise Cox.
Lembrança de quinta-feira passada. Onde eu recebi a presença de Deus. Através dessa turma maravilhosa. Muito obrigada aos irmãos da Igreja Mais de Cristo.

 

Até mais pessoas maravilhosas 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.