CRESCE ONDA DE FURTOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL EM ITAJAÍ

SEGURANÇA PÚBLICA: O Sinduscon da Foz do Rio Itajaí alerta empresários da construção civil para a crescente onda de furtos de fios e cabos de cobre que têm ocorrido nas obras em Itajaí. Os delitos mais frequentes estão sendo registrados nos bairros Centro, São Judas, Dom Bosco e Vila Operária. Em menos de um mês, uma empresa associada ao Sinduscon foi furtada três vezes. Ofício relatando o problema e pedindo ajuda foi enviado em 20 de outubro à Polícia Militar de Itajaí mas, até o momento, não houve manifestação da corporação.

O ofício foi assinado pelo Sinduscon e pela Associação Intersindical Patronal de Itajaí, pois ambas entidades possuem suas sedes em prédio compartilhado no centro da cidade, e foi invadido duas vezes numa única semana este mês. O presidente do Sinduscon, engenheiro civil Bruno Pereira, comenta que, mesmo com a instalação de sistemas de alarme e monitoramento nas obras, os furtos seguem crescendo. “Temos recebido comunicados frequentes de empresas associadas sobre furtos de materiais de cobre nas construções. Sabemos que ocorrem com o intuito de venda no mercado ilegal por conta do alto preço deste metal”, afirma, dizendo que construtoras com obras e escritório na Praia Brava também têm relatado furtos e assaltos nas últimas semanas.

Foto: Vizzotto Comunicação

No ofício encaminhado ao tenente-coronel Diego Pereira Chanes, do 1o Batalhão da Polícia Militar de Itajaí, o Sinduscon e a Intersindical pedem patrulhamento mais ostensivo dentro da cidade, além de ações específicas direcionadas, tais como vistorias em espaços de reciclagem e sucata para fiscalização de materiais existentes. “Estamos nos organizando para levar o problema a outras instituições e autoridades ligadas à segurança pública. É preciso coibir de forma rápida e ostensiva esta onda de delitos, sob o risco da falta de segurança trazer sérias consequências à comunidade e refletir em todos os setores econômicos, o que não é nada bem-vindo em qualquer tempo, principalmente neste momento de pandemia que todos estamos atravessando”, finaliza o presidente do Sinduscon.

Comentários estão fechados.