DEPUTADO DENUNCIA MILITARES DA RESERVA E SUGERE A GOVERNADOR QUE ‘SAIA’ PARA NÃO DESTRUIR COM O ESTADO

0 887

“O governo do estado, Carlos Moisés, fez dispensa de licitação de contrato da SCPAR com 596% de superfaturamento, valor de R$ 590 mil, foi para R$ 4.219 milhões de reais

O deputado Kennedy Júnior, utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa para denunciar servidores públicos do Porto de São Francisco do Sul, cargos de confiança do governo de estado, por dispensa de licitação com superfaturamento de mais de 500% e pede para governador Carlos Moisés renunciar ou seja, sai do cargo para não acabar com Santa Catarina, veja integra do discurso e conteúdo da denúncia.

Quero chamar atenção de algo muito sério, de uma dispensa de licitação da (SCPAR) do Porto de São Francisco do Sul, olha só que coisa incrível a inflação dos seus contratos, aí tem o contrato com a dispensa de licitação, feito em 2018, contratando uma empresa, que essa empresa foi contratada por R$ 590 mil reais, em 2018, para trabalhar por 12 meses, a partir do dia 30 de julho de 2018, para matar pombinhos, ratos e mosquitos, olha só, a empresa contratada é do Rio Grande do Sul.

Fiz uma busca no site do IBGE, fiz um cálculo de agosto de 2018 e a março de 2019, o valor de R$ 590 mil, que foi contratada empresa para matar pombinhos, ratos e mosquitos deveria ser hoje de 603. 564 mil reais.

Veja o que fizeram, a realidade é outra deste governo “malandro”, que está dilapidando o patrimônio público com dispensa de licitação, pasmem, eles dispensaram a licitação e contrataram a mesma empresa por um valor R$ 2.109,561 reais, e daí para piorar, não é só o  valor, mas, olha só a sacanagem, o contrato o outro de R$ 590 mil, era de 12 meses, ai colocam no contrato de vigência de 180 dias, por um valor de 2,109 milhões, mas, se colocar o preço do outro contrato, fica R$ 4.219,123 milhões, ou seja, um absurdo!

Deveria ser o valor de R$ 603 mil, considerando o IPCA, segundo o IBGE, mas foi R$ 4 milhões, sabe o que dá isso, um aumento de 596%, isso é roubo, isso é roubo.  Dispensa de licitação para matar ratos, pombinhos e mosquitos me lembra dos Amônitas destruíram o exércitos de Israel e levou a Arca, e Deus feriu os homens e mulheres com hemorroidas, quando foram pergunta para os sacerdotes o que fazer para tirar esta maldição, os sacerdotes faça das vossas vergonhas imagens de ouro, qual era a vergonha deputado, as hemorroidas isso pior que as hemorroidas, isso é vergonha, vergonha, e pior de tudo que este Porto está sendo dirigido por três oficiais militares, da reserva, que ganham da reserva e ganham mais ainda como diretor do Porto. Estou recebendo essa denúncia de pessoas de dentro que não aguenta mais essa sacanagem que estão fazendo com o dinheiro público. Dispensa de licitação, e mais ainda, ligação de gentes do governo com suas redes, seja no Porto de Imbituba como no Porto de São Francisco, é uma vergonha, 596% de superfaturamento.

Veja a foto da empresa, o endereço numa casa, ninguém consegue falar com a tal da Maria, que é proprietária da empresa, o capital da empresa é R$ 96 mil reais, aí eles fizeram uma quantia boa, R$ 590 mil por 12 meses, para R$ 2.109,00 milhões para seis meses sem dispensa de licitação, o Moisés, pede para sair pelo amor de Deus, você vai acabar com o Estado.

Santa Catarina é um paciente com câncer, isso me lembra meu falecido pai, ele não sentia dores, levamos para o hospital e eles fizeram um exame, detectaram sangue oculto nas fezes, era uma úlcera, senhor Garibaldi, toma este remédio, daqui a 21 dias você volta, mas eles fizeram uma biópsia e era câncer no fígado, ele estava metástases e não sentia dor…   A biopsia que está sendo feita pelo Ministério Público.

O Estado Santa Catarina está com metástase de corrupção no governo inteiro, é quase perda total, e pior de tudo o chefe disso está igual aos outros envolvidos em corrupção, aprendeu rapinho, “não sei de nada” aliás ontem até correu da “live”, apareça governador e pede para Sair, conclui. 

Da redação

   

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.