DEPUTADO DENUNCIA SUSPEITA DE CORRUPÇÃO NA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO

0 772

ERRATA:

ATUALIZADA às 16h15min, de 25/05/2020: Na matéria publicada no último dia 22/05, sob o título “COORDENADOR DE EDUCAÇÃO DENUNCIA CORRUPÇÃO NA EDUCAÇÃO DO ESTADO”, cabe-nos a correção a seguir: O título saiu equivocado, sendo o correto o atual “DEPUTADO DENUNCIA SUSPEITA DE CORRUPÇÃO NA EDUCAÇÃO DO ESTADO”. Na matéria se observa que o citado coordenador “não denunciou corrupção” mas somente denunciou aos seus superiores que a nota fiscal por ele analisada estava num valor exorbitante e não concordou em dar o aceite e comunicou seus superiores do fato. Pedimos desculpas pelo equívoco no título e fazemos a correção e consequente atualização do texto com a errata.

“Coordenador Regional de Educação, de Dionísio Cerqueira, Flávio Luiz Maziero, recusou assinar nota fiscal de R$ 134 mil reais, para serviços de jardinagem e denunciou o caso suspeito por ofício devido valor Exorbitante a ser pago a empresa Limpar Serviços Ltda”

22/05/2020: Em áudio na Alesc , o deputado Maurício  Eskudlark fez uso da palavra na Tribuna da Alesc e apresentou mais uma denúncia de suposto desvio de recursos na Secretária de Educação. o Parlamentar suspeita que possa existir um outro esquema que visa fraudar o sistema de contratação na Secretaria de Educação e pode estar produzindo cobranças indevidas de jardinagem e manutenção de áreas externas de colégios estaduais em Santa Catarina.

Na denúncia em Plenário Maurício Eskudlark explica que um dos contratos feitos pela Secretaria de Educação para execução de serviços de jardinagem na escola, numa das notas fiscais consta o valor de R$ 170 mil reais para manutenção de jardinagem na escola estadual de Santa Cruz, de Canoinhas e outra nota fiscal de R$ 134 mil na escola de Dionísio Cerqueira.

Alertou para valor total da licitação para a região do Planalto Norte, de R$ 4,051 milhões, questiona o deputado, “imagina o contrato para todo o Estado, precisamos exigir total transparência e rigor da justiça contra estas supostas de ilicitudes graves” asseverou.

Apresentou a nota e documentos do caso e lembrou que o responsável por estas contratações na Secretaria é de responsabilidade de um bombeiro de confiança e indicado pelo governador Carlos Moisés.

Conforme o Deputado, o aceite da nota fiscal de R$ 134 mil foi recusada pelo Coordenador Regional de Educação, Flávio Luiz Maziero, como consta do ofício n. 27/2020.  Segundo o coordenador Maziero, a nota foi adulterada, onde constava 300m2 de jardinagem, foi transformada em 3.000m2, não existe nenhuma escola na Regional com este dimensionamento, contrapôs.

O deputado  Eskudlark informou  ainda que está fazendo uma verificação no portal de transparência, para depois pedir uma reunião com as autoridades do Ministério Público e com o Tribunal de Contas, para escolher o melhor caminho para fazer apuração da denúncia se será no  Gaeco ou no Tribunal de Contas, ou se teremos que abrir mais uma CPI para apurar a caixa preta da Secretaria de Saúde.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.