DEPUTADO PEDIRÁ ABERTURA DE CPI PARA INVESTIGAR CONTRATO DE CAMPANHA DE R$76,9 MILHÕES NA ALESC

0 698

Em entrevista ao programa Fontella sem Censura, comandado pelo jornalista e radialista Marco Aurélio Fontella, ouviu o Dep. Maurício Eskudilak (PL) que informou que formulará ainda esta semana um pedido de abertura de (CPI) Comissão para apurar a contratação do Hospital de Campanha de Itajaí.

Maurício Eskudilak relatou a preocupação com os destinos dos recursos públicos e a responsabilidade dos Deputados é a de zelar pelo patrimônio do Estado e fiscalizar as atividades do Poder Executivo, e dentre estas atribuições dos deputados, vamos entrar com um pedido de (CPI), Comissão Parlamentar de Inquérito, no sentido de apurar a contratação do Hospital de Campanha, que segundo o governador Carlos Moisés seria instalado em Itajaí. Estamos fazendo este pedido de abertura, para isso precisamos colher 14 assinaturas necessárias de entre os 40 deputados para que o processo de abertura possa fundamentar as evidências e as irregularidades demonstradas nas decisões judiciais, suspendendo a contratação, depois houve uma decisão liberando a contratação e por fim, após advertência do Ministério Público e do Tribunal de Contas, por apontar indícios de irregularidades, por consequência o governador Carlos Moisés, suspendeu a contração, contrato que já estava assinado pelo Governador.

Segundo o deputado Maurício, em outros estados, hospitais de Campanha a exemplo de Goiás, com 200 leitos, por R$ 10 milhões de reais, um custo bem inferior, bem mais barato, enquanto o nosso Estado de Santa Catarina, iria pagar R$ 76,9 milhões para um Instituto de São Paulo, Hospital Psiquiátrico não é especializado em combate a vírus, Observa Eskudilak, “a última folha do contrato vimos as digitais do Governador MOISÉS, e a palavra de acordo“.Significa que o governador está de acordo com as cláusulas e ciente do que estava assinando. Contra argumentou.

Para Maurício Eskudilak que já foi líder do governo na Assembleia Legislativa, os indícios são fortes, fizeram uma contratação eivadas de vícios, assinaram o contrato numa velocidade sem precedentes, um empenho d desta envergadura em menos de 24h00, questionou? Outra questão, no valor global do contrato a uma desproporcionalidade que merece atenção, dos R$ 76,9 milhões, destinaram R$ 18 milhões para compra de equipamentos, o restante seria em estruturas e contratação de pessoal. E instantaneamente a empresa vencedora anunciou em redes sociais e na mídia regional a contração de profissionais.

Como Parlamentar observamos inúmeras situações que devem ser esclarecidas, portanto, o rito da CPI, seguirá a legislação com a composição por Partidos, indicar seus membros, depois da escolha de uma Presidente e de membro relator do Processo. Caso avance o processo, explicou, Maurício Eskudilak, após a conclusão da CPI, teremos os pareceres, se constar irregularidades as pessoas envolvidas serão apontadas, conseguintemente, será encaminhada para providências do Poder Judiciário, inclusive, da própria ALESC que tem poderes para tomar as providências no âmbito do processo político, concluiu.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.