EM TEMPOS DE PANDEMIA MAIS JESUS E MENOS RELIGIÃO

0 165

Nenhum mal atingirá aos que depositam a sua confiança em Deus. Salmos 91; 09 à 15, 16.

Jesus Cristo, falou a respeito das pandemias, de dias difíceis, ele nos advertiu e nos orientou sobre os caminhos para livrar-nos destes males que afligiriam o mundo. Em seu sermão escatológico, o Senhor Jesus anunciou que a presente Era seria marcada por “fomes e pestes” (Lucas 21:11). Perceba que Jesus Cristo claramente está se referindo a grandes epidemias e pandemias que castigariam a humanidade, pois Ele conecta diretamente a fome e a peste.

Faça parte da segunda légua, a do serviço livre, de devoção e amor à liberdade, a que representa o esforço semelhante ao de Jesus, para alcançar o irmão no amor e para colocá-lo sob a guia espiritual, na direção da meta divina mais elevada da existência mortal. Siga-me!

“A vida terrena de Jesus foi devotada a um grande propósito, fazer a vontade do Pai, viver a vida humana, religiosamente e pela fé”

Ao conquistar almas para o Mestre, não é a primeira légua, a da obrigação, do dever ou da convenção, que irá transformar o homem e o seu mundo, mas é mais a segunda légua, a de serviço livre, de devoção e amor à liberdade, a que representa o esforço semelhante ao de Jesus, para alcançar o irmão no amor e para colocá-lo sob a guia espiritual, na direção da meta divina mais elevada da existência mortal.

O cristianismo, ainda hoje, percorre, com disposição, a primeira légua; mas a humanidade definha e tropeça nas trevas morais, porque há tão poucos homens fazendo a segunda légua — tão poucos seguidores professos de Jesus e que realmente vivem e amam, como ele ensinou os seus discípulos a viver, a amar e a servir.

Jesus não exige que os seus discípulos acreditem nele, mas que eles acreditem junto com ele, que acreditem na realidade do amor de Deus e, com toda a confiança, que aceitem a certeza da segurança da filiação ao Pai Celeste.

O Mestre deseja que todos os seus seguidores compartilhem totalmente da sua fé transcendente. Jesus, de um modo muito tocante, desafiou os seus seguidores, não apenas a acreditarem naquilo em que ele acreditava, mas também a acreditarem como ele acreditava. Esta é a significação plena da sua única e suprema exigência: “Siga-me”.

Jesus é a nossa referencia de fé e como ela deve ser administrada em dias de crise, com equilíbrio do espírito, os filhos da graça jamais deve deixar de olhar para a providência de Deus. Por maior que seja a pandemia e o estado de calamidade no mundo, Deus permanece em Seu trono e tudo está sobre seu controle. Nada, nem mesmo o menor de todos os vírus e bactérias conhecidos ou desconhecidos pelo homem, está além do controle de Deus.

Atenção, confiar e ter fé não significa estar imune e que possar tentar o senhor teu Deus. Ter fé não implica em agir de forma inconsequente, ela é o principio do fundamento daquele que crer no impossível. Numa pandemia o cuidado para evitar que a doença se espalhe é fundamental e é dever de todos filho de Deus ser exemplo. (CP 3 João 2).

Você conhece o Jesus humano e o Jesus divino? Queres saber mais pode me chamar pelo whatssap 47 99660 2945 José Santana

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.