ESPECIALISTA EM MEIO AMBIENTE DENUNCIA DECRETO DE EMERGÊNCIA AMBIENTAL, HIDROJATO E VIOLAÇÕES DE TERMOS E LEIS AMBIENTAIS 

0 382

09/02/2019: João das Águas, especialistas em gerenciamento de águas urbanas e em esgotamentos sanitários em rios e afluentes no Brasil e no Mundo, foi o entrevistado do jornalista Elias Costa Tenório, ao jornal Folha do Estado elencou dúvidas e denunciou a gestão municipal, falou da coleta de Lixo e a classificou como desumana e de serviço escravo.

Denunciou o decreto de emergência ambiental, na redação apresentou uma declaração da Secretária de Saúde de Itapema, que informou nas redes sociais que não havia nenhum surto de doenças diarreicas no Município, e no dia seguinte o governo municipal publica no diário oficial o decreto de emergência ambiental, o que é muito estranho, considerou e merece atenção das autoridades reguladoras, sobretudo do Ministério Público, sugeriu.

Não satisfeito o ambientalista apresentou uma série de documento, fotos e vídeos, um estudo que aponta as causas da poluição dos rios, e que o Rio Perequê é de longe o que mais polui as praias de Itapema, desafiou os técnicos ambientas de Itapema para um debate, que os números da fonte oficial apontam a origem da causa e que o governo omite, esconde e aponta culpados em vez de fazer seu papel de fiscal, como lacrar as centenas e milhares de escoamento de esgoto clandestino nas redes Pluviais e nos afluentes, citou o crime flagrante velado do caminhão Hidrojato, Porém muitas perguntas e poucas respostas sobre um suposto crime ambiental cometido pela prefeitura de Itapema, “um caminhão de hidrojato, ter sido flagrado dia antes da operação “esgoto clandestino, um vídeo denunciou a Prefeitura como uma das responsáveis pelo despejo de esgoto em um curso do afluente do rio Perequê. Este ato deve chegar ao Judiciário para confrontação das informações.

Em seguida o governo Municipal montou uma operação de guerra para encontrar culpados, após invadir a sede da empresa Conasa (ETE) em busca de esgoto clandestino, cavaram próximo a emissário qual poderia causar uma tragédia muito maior, porém, em função da enorme repercussão o Governo da prefeita Nilza Simas, decretou “estado de emergência ambiental” para contratar profissionais para apurar as denúncias de despejo de esgoto clandestino no afluente do rio Perequê.

A prefeitura publicou o decreto comumentemente a dispensa de licitação e contração n 008/2019, contratando a empresa Habitark Engenharia no valor de R$349 mil reais para?

Para fazer a fiscalização das suspeitas contra a Conasa, o que não tem muita lógica, foi a edição de um decreto para contratar uma empresa, para fazer o mesmo serviço da (ARESC)?  Deve ser levado estes fatos ao Ministério Público Estadual e Federal.

João das Águas ainda desafia a prefeita Nilza Simas, a assumir seu papel de promotora de soluções do contrário enfrentará sérias consequências, posto que trabalhamos com dados técnicos, com Ciência e com profissionalismo, conclui o Ambientalista.

NR: A redação do jornal procurou o assessoria e não obtive respostas, porém, na segunda-feira será feito contato pessoalmente para ouvir a versão da prefeita ou de sua assessoria.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.