MPSC fortalece investigação para intensificar o combate à corrupção e ao crime organizado

O Grupo Especial Anticorrupção (GEAC) foi regionalizado e passa a atuar em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO).

0 212

O Procurador-Geral de Justiça, Fernando da Silva Comin, reestruturou e ampliou o Grupo Especial Anticorrupção, o GEAC, para fortalecer a investigação de crimes contra a administração pública praticados por prefeitos. O GEAC foi regionalizado e passa a atuar em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas, o GAECO.

O GEAC, cuja estrutura estava centralizada na Capital, conta agora com oito grupos especiais anticorrupção. Formados por Promotores de Justiça, que prestaram compromisso de atuar em prol da sociedade na tarde desta sexta-feira (26/4), os oito GEACs Regionais estarão presentes nas mesmas regiões de atuação do GAECO: Capital, Joinville, Criciúma, Chapecó, São Miguel do Oeste, Lages, Itajaí e Blumenau.

“Os grupos especiais anticorrupção vão trabalhar de maneira integrada e harmônica com os GAECOs, dando um novo direcionamento, trabalhando numa outra perspectiva de prioridade, que são os crimes contra a administração pública. Essa nova estrutura tem o objetivo de potencializar aquilo que já funciona”, afirmou Comin, em encontro com todos os comandos dos órgãos que integram o GAECO e todos os integrantes da força-tarefa, na manhã desta sexta-feira (26/4).

O Chefe do MPSC adiantou, ainda, que criará uma estrutura especializada e estadualizada de combate ao crime organizado. Será uma Promotoria de Justiça com sede na Capital que terá quatro ou mais Promotores de Justiça titulares que vão atuar de maneira integrada com as Promotorias de Justiça das regiões e com as demais agências de inteligência.

“Não tenho a menor dúvida que a partir de hoje, com a sintonia fina das nossas Instituições e com a implantação desse novo modelo de enfrentamento dos crimes contra a administração pública, dos crimes fiscais e especialmente dos crimes organizados e da lavagem de dinheiro nós vamos promover um novo momento da história do nosso estado”, ressaltou Comin.

O Subprocurador-Geral de Justiça para Assuntos Jurídicos, Fábio de Souza Trajano, ressaltou que a partir de agora há uma nova filosofia de trabalho. “Com essa nova formatação vamos organizar, aprimorar e planejar melhor as investigações e vamos compartilhar as investigações com mais de um colega. Será um trabalho em equipe, que envolverá o G

Denuncie e corrupção!

EAC, o GAECO e também os Promotores de Justiça”, explicou Trajano, que agora é o coordenador-Geral do GAECO e do GEAC.

Trajano ressaltou, ainda

, que os grupos especiais anticorrupção irão trabalhar em sintonia com os Promotores de Justiça que têm atribuição para atuar na área da moralidade administrativa.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.