No dia da mulher, o MP catarinense propõe reflexão

Em meio a Campanhas sobre Violência Doméstica, a Instituição alerta que a temática também é da sociedade.

0 191

O Ministério Público de Santa Catarina propõe políticas públicas para proteger a mulher agredida no ambiente doméstico e atua na área criminal e na defesa dos interesses da vítima, no entanto, essas ações devem ter a participação da sociedade no entendimento da coordenadora do Grupo de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (GEVIM), a Procuradora de Justiça Cristiane Rosália Maestri Böell. “A violência doméstica não é um problema das mulheres, e, sim, de toda a sociedade. Se quisermos que a nossa jovem democracia prevista na Constituição se concretize, nós precisamos fazer que a cidadania seja plena também seja exercida   pelas mulheres e temos que concretizar, de igual  forma, a equidade de gênero”, enfatiza a Procuradora de Justiça.

Para ressaltar esse entendimento, o vídeo ao lado foi produzido pelo MPSC e publicado, em todas as suas plataformas digitais, com intuito de chamar atenção da população. Uma forma também para ter acesso a mais informações sobre o tema é por meio da página https://www.mpsc.mp.br/campanhas/violencia-contra-mulher

Além de propor políticas públicas para proteger a mulher agredida no ambiente doméstico e atuar na área criminal e na defesa dos interesses da vítima, o MP catarinense criou, em 2016, o GEVIM . O objetivo é auxiliar, por meio de uma ação articulada dos órgãos do MP, a implementação de ações e projetos voltados à efetivação da Lei Maria da Penha. Assista abaixo a três vídeos em que a coordenadora do Grupo de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (GEVIM), a Procuradora de Justiça Cristiane Rosália Maestri Böell explica mais sobre o GEVIM.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.