O PROTAGONISMO PONTUAL E HISTÓRICO DE UM CRUSOÉ ANTAGONISTA.

Reporto-me aos Sites "O Antagonista" e sua revista "Crusoé", cujos Editores, Repórteres e Críticos foram xingados pelo atual Presidente do STF, Antonio Jose Dias Toffoli de "ignóbeis", por terem publicado matéria sobre um "documento" no qual Marcelo Odebrecht chamava exatamente de "Toffoli" o "Amigo do Amigo do meu Pai".

0 84

Ora, se Antonio Jose não tem “culpa em cartório”, por que Toffoli assume “as dores” e ataca o jornalismo independente e cerceia a liberdade de imprensa e livre opinião ?

Parece-nos que “atacar” indiscriminadamente tem sido uma característica evidenciada nos últimos anos por Dias Toffoli.

Nomeado ao STF por Luiz Inácio Lula da Silva, Toffoli deu entrevista à Revista Veja xingando de ” ignorante, imbecil, burro e néscio” quem acreditasse que ele tinha uma dívida com o PT por esta nomeação. Será? Vejamos então algumas ações para que nossos leitores possam tirar suas conclusões.

Dias Toffoli mandou soltar Paulo Bernardo Silva, Filiado ao PT, um sujeito com curso superior incompleto em Geologia que, com muita sorte foi Ministro de Planejamento do Governo Lula, e das Comunicações do Governo Dilma. Ressalta-se que esta “Soltura” ocorreu em circunstância nada convencional afinal, foi pulado duas instâncias superiores.

Jose Dirceu de Oliveira e Silva, Filiado ao PT, ex-chefe da Casa Civil do Governo Lula, também foi contemplado por Dias Toffoli com o “Voto para Soltura” quando estava em prisão preventiva e quando já estava condenado em segunda instância. Dois votos para soltar “Zé Dirceu”.

Luiz Inácio LULA da Silva, após ter sido indiciado pela Polícia Federal no caso do “Triplex”, também recebeu o “Voto Contra a Prisão” de Dias Toffoli, já em segunda instância dois meses após o indiciamento.

Ainda nos últimos anos, Dias Toffoli “Votou a Favor” da concessão de Habeas Corpus para Lula, Filiado ao PT, e também para Antonio Palocci Filho, então Filiado ao PT, Médico mas que com muita sorte ocupou o cargo de Ministro da Fazenda do Governo Lula.

Dias Toffoli ainda “Votou a Favor” de tirar do então Juiz Sergio Moro, as menções da delação comprometedora da cúpula da Odebrecht à Lula. Delações estas sobre o Instituto Lula e ao famoso Sítio de Atibaia.

E mais uma vez Paulo Bernardo Silva, Filiado ao PT, juntamente com sua esposa Gleisi Hoffmann, Filiada ao PT, tiveram de Dias Toffoli, um “Voto pela Anulação” para as provas relacionadas contra eles na Operação ” Custo Brasil” deflagrada em 2016, pela PF e RF num desdobramento da Lava Jato.

Será mesmo que somos ignorantes, imbecis, burros e néscios ?? Ou também somos amigos do amigo do pai ??

Dias Toffoli criou um “inquérito genérico” contra supostos ataques ao STF, e autorizou nao última sexta-feira, o também Ministro Alexandre de Moraes ” a devida apuração das mentiras recém divulgadas por pessoas e sites ignóbeis que querem atingir as instituições brasileiras”. Estava criado ali, o protagonismo pontual e histórico de um crusoé antagonista.

A matéria de “O Antagonista” e “Crusoé” em momento algum manisfestou um ataque à Dias Toffoli e ao STF. Mas o papel do jornalismo independente se faz presente na apuração de fatos neste quase “sub mundo” onde atuam autoridades e empresários remunerados direta ou indiretamente com o Dinheiro Público.

Ao tentar fazer com que uma informação “incômoda” sobre ” O Amigo do Amigo do meu Pai”, possa ser considerada comprometedora e parecer um ataque as instituições brasileiras, agora fomentam a curiosidade nacional sobre a documentação que busca “enterrar”.

A repercussão negativa deste fato e as ações de vasculhar, autorizadas pelo Ministro Alexandre de Moraes contra o Site, Revista, Editores, Repórteres e demais Críticos, fez com que a Procuradora Geral da República Raquel Dodge, encaminhasse um Pedido de Arquivamento ao STF na data de ontem, terça-feira.

O também Ministro do STF Marco Aurélio comentou sobre estas ações, considerando “tempos estranhos”, e que “O STF não pode a um só tempo instaurar o inquérito, investigar e julgar. Não pode. Isso quebra a organicidade do direito. O STF é o Estado julgador, não o acusador. O Estado acusador cabe ao Ministério Público”.

O jornalismo independente, os críticos e sua liberdade de imprensa e opinião, farão sua defesa exatamente no STF e, vamos acompanhar se acaso prevalecerá a cumplicidade corporativista dos demais Ministros sobre este abuso “burro” e “ignóbil” de poder.

JACKSON MAIER

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.