O que impede que EUA e Coreia do Norte cheguem a um acordo

0 276

O presidente dos EUA, Donald Trump e o ditador norte-coreano, Kim Jong-Un se reuniram na quarta-feira, 27 de fevereiro, para a cúpula em Hanói no Vietnã. O objetivo era encontrar um acordo de paz que levasse a desnuclearização da Coreia do Norte em troca do fim das sanções americanas, porém o encontro acabou sem nenhum acordo.

O principal motivo da reticência de ambos para chegar a um acordo é a confiança. Kim Jon-Un pretende encerrar seu programa de desnuclearização se os EUA retirarem primeiro as fortes sanções econômicas sobre seu país. Já os EUA pretendem retirar as sanções só depois que Kim encerrar o programa nuclear norte-coreano.

Na primeira cúpula entre os dois líderes ano passado, tanto os EUA quanto a Coreia do Norte tiveram avanços significativos. A Coreia do Norte aceitou paralisar os testes nucleares e a produção de mísseis balísticos. Depois, em troca de cartas por ambos os governos, Trump e Kim marcaram uma nova cúpula, que foi a realizada em Hanói. Diferente da primeira, não houve avanços, inclusive, terminando uma hora mais cedo do que o previsto.

Trump em coletiva de imprensa disse que a não chegaram a um acordo pois Kim Jong-Un queria que os EUA retirassem todas as sanções impostas sobre a Coreia do Norte. E que, caso retirasse as sanções, temia que os norte-coreanos voltassem com o programa nuclear.

Porém, segundo o chanceler norte-coreano Ri Yong-ho, Kim solicitou que apenas o levantamento parcial e não total das sanções fossem retiradas, chegando ao total de cinco. Ri Yong-ho também acrescentou que em troca do levantamento dessas sanções, a Coreia do Norte ofereceu o desmantelamento total de toda a produção de material nuclear, incluindo plutônio e urânio com a observação das Nações Unidas.

O que se nota após essa cúpula é que há um impasse a ser resolvido entre Trump e Kim Jong-Un, onde ambos precisam abrir mão de alguma de suas exigências para chegar a um acordo concreto. A cúpula de Hanói não deveria ser realizada sem ambas as partes já terem algum pré-acordo estabelecido. No fim, o encontro serviu apenas para troca de elogios entre ambos os líderes.

Trump e Kim se reunirão futuramente, resta saber quando, Coreia do Sul e China, os principais interessados nesse acordo vão continuar a mediar as negociações. O acordo, apesar de o encontro não ter sido produtivo vai sair do papel, está próximo. Mas como disse Trump, sem pressa e na hora certa, para que ambos os países saiam satisfeitos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.