Opinião: O que temos a temer com o Temer

25
LUCAS (1)

Lucas F. Gonçalves: Graduado em Ciência da Computação pela UNISUL, com honras de melhor aluno. “O que mais me abriu a mente foi o bom exercício da lógica e todas as questões abertas no campo da Inteligência Artificial”. Lucas não tem dificuldades com números, mas ama a área da música, arte e filosofia. “Gosto de bons filmes, Stanley Kubrick, Stephen King, livros de mitologia nórdica, ficção cientifica e demais ficções. Tolkien, Douglas Adams e Isaac Asimov são exemplos de autores que amo. Tenho um gosto musical diversificado, vou do hardrock ao metal, passando pelo grunge, porém também amo música country e clássica”.

 

Tempestade Cerebral: Um sistema político para TEMER não é a democracia, mas sim a cleptocracia. Onde nosso voto não vale nada e somos governados por ladrões. Onde nossas riquezas serão extraídas do povo, para serem colocadas nas mãos dos mais ricos. Onde nossa mídia se cala para que a corrupção continue livre. Onde nossos direitos civis serão revistos e os programas sociais serão extintos.

Um plano para TEMER é cortar previdência, saúde e educação, sem receio de deixar o pobre desassistido, enquanto não mexe em nem um centavo no bolso de quem pode pagar a crise econômica, ampliada pela política, e ainda na cara dura aumentar as despesas federais, ao passo que se recolhe o dinheiro do banco de desenvolvimento, para pagar os credores, ou seja, seus apoiadores.
Um pacto para TEMER é colocar o golpe em ação, destruir o sistema democrático em nome da corrupção, tirar a presidenta democraticamente eleita do poder para acabar com a investigação, dar mais lucros para o patrão, talvez aplicar desoneração, iniciar a privatização e quando os cofres públicos ficarem totalmente vazios, colocar a bomba na sua mão.
Um governo para TEMER é instituído no ideário conservador, elitista, segregacionista e machista para formar os ministérios de homens velhos, brancos e corruptos. Que trata a cultura como antro de esquerdistas. Cogita colocar um pastor para liderar a ciência e tecnologia. Coloca nas Relações Exteriores um entreguista. Que tem o Frota como lobista da ignorância no Ministério da Educação e onde nem a transparência fica longe da sujeira.
Uma família para TEMER é aquela tradicional, onde a mulher deve ser bela, recatada e do lar. Que vai à missa todo o domingo, mas não vê mal algum em cortar o Bolsa Família, enquanto o filho de sete anos tem dois milhões em imóveis, que seu pai declara como sendo avaliados em cento e noventa mil.
Há tanta coisa para TEMER com o Temer que se tudo fosse exposto o desabafo seria demasiadamente extenso. Mas sigamos na luta, enfrentando a hipocrisia e o ódio, sonhando com um pais mais empático, mais instruído, mais politizado e mais unido.