PANDEMIA: ADIAMENTO DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS DE 2020

2 1.426

Atualizada 28/05/2020 – O ministro Barroso, presidente do TSE, Alcolumbre presidente do Congresso e com o Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, estão reunidos neste momento para tratar da prorrogação das Eleições.

https://www.folhaestado.com/ministro-barroso-recebe-alcolumbre-e-mais-para-discutir-prorrogacao-da-eleicoes/

Coronavírus: As eleições municipais de 2020 podem ser adiadas?

Atualização: 14h40min: Para o presidente do PTB de Itapema, José Santana, levanta em favor e reposiciona apoio a inciativa de parlamentares para adiamento das eleições municipais de outubro. Estamos enfrentando uma guerra, não é brincadeira, é uma pandemia que pode evoluir para caos e destruir as bases das nossas instituições, contudo, seria o momento de repensar as eleições municipais de 2020, “não há clima político, econômico e emocional para disputas de eleições para prefeitos e vereadores frente a uma questão tão grave como a que enfrentamos, bem como o corte na carne, redução de 50% nos salários dos políticos, prefeitos, vereadores, governadores e deputados e comissionados, dos deputados federais e senadores e de todos os cargos de ministros e comissionados, e este valor ser direcionado para fundo de apoio ao combate ao COVID-19 “.

Relembrando, o Congresso aprovou, nesta semana, a decretação de estado de calamidade pública para que o país possa lidar com a crise causada pela doença, bem como, ajustes fiscal e econômico. 

Um grupo de deputados começou a discutir a possibilidade de adiar as eleições municipais de 2020 por causa do (coronavírus), creio que estão corretos, posto que não à clima para disputas eleitorais frente a um vírus invisível que transmite de pessoa para pessoa e pode ser letal. 

O deputado Capitão Augusto (PL-SP), líder de bancada na Câmara Federal, debatem propostas que vão desde o adiamento de 60 a 90 dias da data prevista para as eleições 2020, em outubro, até o adiamento por dois anos e unificação do pleito municipal com o presidencial, em 2022.

A preocupação é econômica e sobretudo com atividades de campanha que exigem um contato mais próximo com eleitores e aglomerações de pessoas, como as convenções partidárias e comícios, além do próprio dia de votação, defende o Augusto (PL-SP).

Ainda é cedo, mas é hora do Congresso Nacional e TSE reavaliarem todas as possibilidades, a crise de saúde e econômica instalada aponta para esta direção “parar”, para dedicarmos todas as nossas energias para o enfrentamento da pandemia do Coronavírus, não é hora de pensar em política e muitos menos em campanhas eleitorais, devemos pensar tão somente combater o Covid-19 está é a única campanha aceitável”.

José Santana – presidente PTB de Itapema

2 | Comentários
  1. Gerson Rodrigues da Costa Diz

    Seria de bom tom adiar as eleições e unificá-las em 2022. Para o bem da saúde pública e econômica e todo o dinheiro que seria gasto nesta eleição,ser direcionado ao Ministério da Saúde,bem como todo seu fundo eleitoral e partidário.
    Não é possível um país que passa por sérios problemas econômicos,ter eleições de cada 2 anos e além de tudo,meses próximos às eleições,praticamente todas as pautas de votação e investimentos,estariam paralisadas. Portanto,unificação já!

    1. José Santana Diz

      Perfeito, obrigado pela colaboração!

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.