QUEM TEM HIV PRECISA SABER

0 239

A COVID-19 é uma doença grave e todas as pessoas que vivem com HIV devem tomar todas as medidas preventivas recomendadas para minimizar a exposição ao novo coronavírus e se prevenir da infecção.

Até o momento, não há fortes evidências de que as pessoas que vivem com HIV corram um risco especialmente maior de contrair a COVID-19 ou de que, caso isso ocorra, elas possam apresentar um resultado pior em seus organismos. Contudo, isso não significa que as pessoas que vivem com HIV devam encarar a COVID-19 sem preocupações ou como se não fosse um problema grave. É preciso tomar todas as precauções para se proteger.

Para orientar as pessoas que vivem com HIV, o UNAIDS produziu uma cartilha com informações sobre HIV e COVID-19. Para acessar o material,  clique aqui  e faça o dowloand da publicação.

As pessoas idosas vivendo com HIV ou pessoas vivendo com HIV que  tenham problemas cardíacos ou pulmonares podem ter maior risco de infecção pelo vírus e sofrer sintomas mais graves, assim como ocorre com a população em geral.

À medida em que a COVID-19 continua a se espalhar pelo mundo, será importante que as pesquisas atualmente em curso, em locais com alta prevalência de HIV na população em geral, lancem mais luz sobre as interações biológicas e imunológicas entre o HIV e o novo coronavírus.

Precauções que as pessoas que vivem com HIV e populações-chave devem seguir para prevenir a infecção pelo coronavírus:

Mantenha-se seguro(a)

  • Limpe as mãos frequentemente com água e sabão (por 40 a 60 segundos) ou álcool gel para as mãos (por 20 a 30 segundos).
  • Cubra a boca e o nariz com um cotovelo flexionado ou lenço de papel ao tossir ou espirrar. Jogue fora o lenço após o uso.
  • Evite contato próximo com qualquer pessoa que tenha febre ou tosse.
  • Fique em casa quando estiver doente.
  •  Se estiver com febre, tosse e dificuldade em respirar e tiver viajado recentemente ou residir em uma área onde a COVID-19 é relatada, você deve respeitar as determinações do Ministério da Saúde e, em caso de sintomas mais graves, procurar atendimento médico imediatamente nos serviços de saúde, com seu médico/sua médica ou hospital local. Antes de ir à unidade de saúde ou ao consultório médico, ligue com antecedência e informe  sobre seus sintomas e viagens recentes.
  • Se você estiver doente, use uma máscara médica e fique longe dos outros.

Mantenha-se informado (a)

  • Conheça os fatos sobre a COVID-19 e o vírus causador da doença e sempre verifique informações em fontes confiáveis, como a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Esteja preparado (a)

  • Você deve ter seus suprimentos médicos necessários disponíveis – idealmente por 30 dias ou mais. As diretrizes da Organização Mundial de Saúde para o tratamento do HIV agora recomendam distribuição de três meses ou mais de medicamentos de HIV para a maioria das pessoas em visitas de rotina, embora isso ainda não tenha sido amplamente implementado em todos os países.
  • Saiba como entrar em contato com sua clínica por telefone, caso precise de conselhos.
  • Saiba como ter acesso ao tratamento e a outros tipos de apoio em sua comunidade. Este tratamento pode incluir terapia antirretroviral, medicamentos para tuberculose (caso esteja em tratamento para tuberculose) e qualquer outro medicamento para outras doenças que você possa ter.
  • As populações-chave, incluindo pessoas que usam drogas, profissionais do sexo, gays e outros homens que fazem sexo com homens, travestis e mulheres trans, e pessoas privadas de liberdade devem garantir acesso a meios essenciais de prevenção da infecção pelo HIV – como preservativos, profilaxia pré-exposição (PrEP) e outros insumos da prevenção combinada. Acesso a suprimentos adequados de outros medicamentos, como contraceptivos e terapia hormonal para pessoas trans, também devem ser garantidos.
  • Como nem todos os países implementaram políticas para permitir prescrições mais longas, faça contato com seu médico ou sua médica o mais rápido possível. Considere trabalhar com outras pessoas em sua comunidade ou rede para convencer os profissionais de saúde e tomadores de decisão a fornecer prescrições de vários meses para seus medicamentos essenciais.
  • Discuta com sua rede de familiares e amigos como vocês podem se apoiar mutuamente em momentos de distanciamento social. Faça acordos em sua comunidade e em sua vizinhança para obter, de forma alternada e cooperativa, alimentos, medicamentos, suprimentos de
    cuidados para crianças ou animais de estimação etc.
  • Na medida do possível, ajude outras pessoas de sua comunidade ou rede e garanta que elas também tenham um suprimento adequado de medicamentos essenciais.
  • Verifique se você sabe como alcançar sua rede local de pessoas vivendo com HIV por meios eletrônicos. Faça um plano para ligações telefônicas e internet, caso medidas de saúde pública exijam que as pessoas fiquem em casa, ou caso você fique doente.

Apoie-se e apoie as pessoas ao seu redor

O surto do coronavírus pode causar medo e ansiedade — todas as pessoas são incentivadas a cuidar de si mesmas e a se conectar com pessoas queridas. Pessoas que vivem com HIV e suas redes têm décadas de experiência em resiliência, sobrevivendo com sucesso às adversidades, e podem contar com sua rica história compartilhada para apoiar suas famílias e comunidades nesta crise atual.

Dê atenção especial à sua saúde mental:

  • Evitando exposição excessiva à cobertura da mídia sobre o coronavírus. Leia apenas informações de fontes confiáveis.
  • Cuidando do seu corpo – respire fundo, faça alongamentos ou medite. Tente comer refeições saudáveis e equilibradas, exercite-se regularmente, durma bastante e, sempre que possível, evite álcool e outras drogas.
  • Reservando um tempo para relaxar e lembrar-se de que sentimentos negativos desaparecerão. Faça pausas ao assistir, ler ou ouvir notícias. Pode ser perturbador ouvir sobre a crise repetidamente. Tente fazer outras atividades que você goste para retornar à su vida normal.
  • Conectando-se com outras pessoas. Compartilhe suas preocupações e como você está se sentindo com pessoas amigas ou membros da família.

Diga não ao estigma e conheça seus direitos

O estigma e a discriminação são uma barreira para uma resposta eficaz ao COVID-19. Este é um momento em que o racismo, o estigma e a discriminação podem ser direcionados contra grupos considerados afetados.

Seu local de trabalho e o acesso a cuidados de saúde ou educação, para você ou seus filhos, podem ser afetados pelo surto do coronavírus se medidas de distanciamento social forem implementadas em sua comunidade. Conheça seus direitos e verifique se você e sua
comunidade estão preparados.

Tratamento da COVID-19

Vários ensaios clínicos randomizados estão em andamento para determinar se os medicamentos antirretrovirais usados no tratamento do HIV podem ser úteis no tratamento da COVID-19. Muitos outros tratamentos possíveis também estão sendo testados em ensaios clínicos bem desenvolvidos. Como esses ensaios não terminaram, é muito cedo para dizer se medicamentos antirretrovirais ou outros medicamentos são eficazes no tratamento da COVID-19.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.