Reunião convocada por PSDC reúne dezenas de famílias

333

Bombinhas 09/04/2016:  A executiva do PSDC de Bombinhas reuniu com filiados e simpatizantes para discutir os principais assuntos relacionados às eleições de outubro, que serão eleitos vereadores e prefeito para legislar e governar a cidade.

Cerca de 70 pessoas reuniram na casa do Maranhense Tonho “motoqueiro” para ouvir e debater as propostas do PSDC, Tonho, falou da alegria de abrir sua casa para o Partido tratar de um tema tão importante e que as pessoas lamentavelmente tem se afastado devido aos rumores que na política só tem ladrão, nós podemos mudar esta situação, começando por nossas atitudes, participando e fiscalizando, finalizou dando as boas vindas em apoio a pré-candidatura a vereadora de Maria Francione,
executiva
“hoje, temos a oportunidade de mudar este quadro vergonhoso que assombra o nosso país, citou o exemplo que entre os 513 deputados da Câmara, segundo a Transparência Brasil, 303 são investigados por algum crime”. José Santana – jornalista, fundador da Olho Vivo e coordenador do PSDC na região.
Na condução dos trabalhos, o presidente do PSDC, pastor Luiz Henrique abriu a reunião dando boas vindas às todos e homenageando Tonho, sua família e todos os presentes por deixar seus lares em momento de crise e de descredito na política para acompanhar e prestigiar a reunião do PSDC que trás com pauta a política de cara e mãos limpas, conduziu…
Entre os convidados, o jornalista José Santana usou a palavra para falar da importância da participação dos cidadãos de bem na política, Santana, que preside a ONG Olho Vivo, Organização do Voluntariado para o Combate a Corrupção e editor do jornal Folha do Estado, falou por cerca de dez minutos aos convidados sobre as causas da corrupção nas administrações públicas, um dos maiores culpados pelo alto índice de malfeitos somos nós que só procuramos a política quando o problema chega a nós, e isso, é um grande mal que tem atraído para quadro de gestores pessoas de má índole, uma permissão concedida pelos eleitores que não participa da política por temor de contaminar com a sujeira, com isso permite que os esquemas, a politicagem se agigante e os resultados da omissão dos eleitores em se afastar da política é sentida em todos os setores das administrações públicas, porque acabamos elegendo pessoas descompromissadas com a honestidade, sobretudo, com a transparência na aplicação correta dos recursos públicos, “hoje, temos a oportunidade de mudar este quadro vergonhoso que assombra o nosso país, citou o exemplo que entre os 513 deputados da Câmara, segundo a Transparência Brasil, 303 são investigados por algum crime”. No Senado, o número também ultrapassa os 50%: dos 81 senadores, 49 estão envolvidos em investigações. “cito outro exemplo aqui próximo, “todos os vereadores de Tijucas foram citados e indiciados em um suposto esquema de desvios de recursos públicos”“. Para mudar esta reputação ruim somente com a participação ativa de todos e todas as fases do processo eleitoral, nós somos a mudança que desejamos, e ela só virá com atos e atitudes de todos que não se pode mais aceitar políticos que usam o poder financeiro ou a máquina pública para financiar projetos de poder, o único poder que deve ser aceitos são os da vontade do povo, o voto consciente e sem conchavos, trocas de favores ou qualquer outro artifício deve ser denunciados e repudiados por todos, concluiu.

Já advogada Lilian Cabral, falou de legislação eleitoral aos presentes reforçou a prudência que o Partido vem adotando em preparar a sigla para participar do pleito eleitoral com responsabilidade e, sobretudo, assessorar-se para evitar equívocos na prestação de contas, divulgação institucional e dos prazos para evitar problemas com a lei eleitoral.

Aberta a palavra para que os cidadãos manifestassem e se expressassem sobre a pauta, ao todo dez pessoas entre mulheres e homens fizeram depoimentos contundentes contra a corrupção e os malfeitos políticos, um dos depoimentos que mais chamou atenção, foi de um senhora que mora na cidade a dez anos, gaúcha, que nunca transferiu o título por ter perdido a fé nos governos, “não acredito mais nessa gente que governa, em vereadores, secretários, seja lá quem for ligado a serviços públicos tenho os pés e mãos atrás, mas após a fala de hoje, me vejo na obrigação e no dever de mudar de conceito, tudo isso que está acontecendo tenho uma parcela de culpa, a minha omissão permitiu este caos político no país, agora vejo com outro olho, não só vou transferir o meu titulo como do meu marido e dos meus dois filhos, quero participar da política, quero entender e vou fiscalizar, nunca fui a uma cessão da Câmara de Vereadores, agora quer olhar isso de perto, posto que eu também pago o salários deles, vou cobrar dentro do limite a obrigação deles” concluiu.

Francione 1Por final a pré-candidata a vereadora professora Maria Francione (PSDC), agradeceu o apoio de todos e ao Partido, “não estou aqui por quis; sou migrante e uma mulher de família e educo quatro filhas sozinha, trabalho para melhorar a vida das pessoas e nunca me imaginei neste cenário, me filiei ao Partido, porque isto é cidadania e compromisso”. Temos sete pré-candidatos no PSDC, um por um vieram me propor abrir mão da pré-candidatura deles as convenções, diante da sinceridade e apelo de todos vou me entregar a esta causa tão nobre, e se passar meu nome nas convenções, quero de público afirmar que o PSDC, jamais se envergonhará dos meus atos, pelo contrário, quero trabalhar por este Partido e em nome dele vamos fazer um trabalho de inserção do migrante a política local, o PSDC levanta uma bandeira que a muito tempo está esquecida, sabendo das dificuldades que estas pessoas sofrem no dia a dia para encontrar trabalho, sobretudo, na baixa temporada, precisamos mudar este quadro e para isso precisamos juntar as mãos, ideias e todos trabalhar para que nossa cidade se torne acolhedora, não importando de onde você veio, se do Paraná, do Rio Grande do Sul, do Oeste de Santa Catarina, do Ceará ou de qualquer parte do mundo, o migrante é um cidadão e merece as honrarias da casa e o tripé da mão de obra, construção civil e hotelaria são de maioria imigrantes e estas pessoas merecem ter a sua dignidade respeitada, espero José Santana e Luís Henrique que esta fala ecoem aos ouvidos do Poder constituído e preza por políticas públicas de inclusão de fato e de direito, esta é a bandeira que PSDC defende Justiça, deveres e obrigações, muito grata e obrigado, conjecturou a pré-candidata a vereadora pelo PSDC.

Assessoria de Imprensa/PSDC

José Santana

Jornalista DRT3982/SC

Comentários estão fechados.