SEMANA DO ACAMPAMENTO FARROUPILHA

0 793

Setembro é o mês em que os gaúchos cultivam as tradições do Rio Grande. Em Santa Catarina a semana acontece entre os dias 13 a 22 de setembro, com música tradicionalista, comida típica e danças folclóricas.

Semana Farroupilha é comorada em várias cidades catarinenses. Em Itapema, cidade do litoral norte de Santa Catarina, o evento é promovido pela Associação dos Amigos do Jardim Praiamar e acontece entre os dias 13 e 20/09 de setembro no CTG no bairro Várzea em Itapema.

As comemorações da Revolução Farroupilha – é uma homenagem a tradição e ao significado do movimento que registra a revoltas civis brasileira, envolvendo em suas lutas os mais diversos segmentos sociais – relembra a Guerra dos Farrapos contra o Império, de 1835 a 1845. O Marco Inicial ocorreu no amanhecer de 20 de setembro de 1835. Naquele dia, liderando homens armados, Gomes Jardim e Onofre Pires entraram em Porto Alegre pela Ponte da Azenha.

A data e o fato ficaram registrados na história dos sul-rio-grandenses como o início da Revolução Farroupilha. Nesse movimento revolucionário, que teve duração de cerca de dez anos e mostrava como pano de fundo os ideais liberais, federalistas e republicanos, foi proclamada a República Rio-Grandense, instalando-se na cidade de Piratini a sua capital.

Acontecendo-se a Revolução Farroupilha, desde o século XVII o Rio Grande do Sul já sediava as disputas entre portugueses e espanhóis. Para as lideranças locais, os términos dessas disputas mereciam, do governo central, o incentivo ao crescimento econômico do Sul, como ressarcimento às gerações de famílias que lutaram e defenderam o país.

Além de isso não ocorrer, o governo central passou a cobrar pesadas taxas sobre os produtos do RS. Charque, couros e erva-mate, por exemplo, passaram a ter cobrança de altos impostos. O charque gaúcho passou a ter elevadas, enquanto o governo dava incentivos para a importação do Uruguai e Argentina.

Já o sal, insumo básico para a preparação do charque, passou a ter taxa de importação considerada abusiva, agravando o quadro. Esses fatores, somados, geram a revolta da elite sul-rio-grandense, culminando em 20 de setembro de 1835, com Porto Alegre sendo invadida pelos rebeldes enquanto o presidente da província, Fernando Braga, fugia do Rio Grande.

As comemorações do Movimento Farroupilha, que até 1994 restringiam-se ao ponto facultativo nas repartições públicas estaduais e ao feriado municipal em algumas cidades do Interior, ganharam mais um incentivo a partir do ano 1995. Definida pela Constituição Estadual com a data magna do Estado, o dia 20 de setembro passou a ser feriado. O decreto estadual 36.180/95, amparado na lei federal 9.093/95, de autoria do deputado federal Jarbas Lima (PPB/RS), especifica que “a data magna fixada em lei pelos estados federados é feriado civil”.

A origem do nome Farrapos. Muitos dos livros de história insistem na versão de que o nome “farrapos” ou “farroupilhas”, dado aos revolucionários gaúchos, teve origem nas roupas que estes vestiam – gastas e esfarrapadas. … Desde então, eram chamados de farroupilhas.

Na semana Farroupilha, todo Rio Grandense, gaúcho vai para rua comemorar a semana Farroupilha, tomando um chimarrão e celebrando com desfiles, shows e se caracterizando de forma adequada com as moças de vestido de prenda e os homens levam seus cavalos vestidos de bombacha, lenço, guaiaca, chapéu, facão entre outros.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.