Tragédia nos EUA é colheita da semente do ódio

0 1.263

Ola, quem não se abala, com tamanha tragédia, foram 13 horas, para nação americana assistir à morte de 29 pessoas em ataques em Ohio e Texas. Atirador mata 9 pessoas e deixa outras 27 feridas em Dayton, horas depois de massacre em El Paso fruto do ódio e do desamor, esta onda de violência nos EUA tem uma origem, a perca das referências, e do amor ao próximo, sobretudo dos bons exemplos, hoje, vemos pessoas revestidas de cristãs apoiando a liberação de armas, construção de muros, invasão a outras nações, enquanto, não se observa os exemplos da verdade.

O que mais cresce no mundo civilizado é o egoismo e o separatismo por títulos, classes, gêneros, cor, raças e fronteiras. Tudo isso é pregado abertamente nas redes sociais, como morte aos judeus, aos palestinos, aos africanos, aos hispânicos, morte as nações socialistas e comunistas, morte aos ultradireitas e aos facistas, neste meio turbulentos de truculento insana, acordo para aquilo que Jesus Cristo, rejeitou de pronto, na ação do mal do ato insano, (Guarde a espada na bainha) porém, advertiu por acaso não vou beber o cálice que o Pai me deu?): não é possível para um cristão se comportar dessa maneira. O cristão e a violência são duas realidades contrapostas e a ação de Pedro nunca pode ser justificada, mesmo se fosse para salvar a vida do seu Mestre” noutra ponta, Dalai Lama, tenta explicar a raiz do mal, “Os efeitos destrutivos do ódio são muito visíveis, muito óbvios e imediatos. Por exemplo, quando um pensamento muito forte ou intenso de ódio brota dentro de nós, naquele mesmo instante, ele nos domina totalmente e destrói nossa paz mental.
Nossa presença de espírito desaparece por completo. Quando um ódio ou raiva surge com tanta intensidade, ele sufoca a melhor parte do nosso cérebro, que é a capacidade de distinguir o certo do errado assim como as consequências a curto e longo prazo dos nossos atos”
Já o apostolo Paulo, era um general do império Romano, maior potência mundial dos tempos de Cristo, Ele era o ódio em pessoa, um monstro, sanguinário, racista, e desumano, uma besta fera enlouquecida. Porém só a verdade remove o ódio e a frieza da alma humana, “na fé, Paulo descobriu que a verdade era a revelação de Jesus Cristo. Foi quando sua vida se transforma e ele se converte aos desígnios do amor ao próximo ” tudo se transforma, passa de perseguidor a perseguido em um instante, contudo, ele tinha a certeza da verdade e que tudo o que fazia era fruto do engano, da fantasia e do desamor, aqueles que pregam o ódio são iguais o general cego, com sede de sangue, sem alma, um morto vivo.
Martin Luther King, “A mais urgente pergunta a ser feita nesta vida é: o que fiz hoje pelos outros?” Estas brilhantes mentes deveriam nos representar, eles construiram pontes entre os homens, fomentaram o diálogo e a paz, recomedaram fraternidade aos seus semelhantes, eles recomendaram aos líderes “embainhem as espadas, porque quem faz uso dela por ela serão apunhalados”.
Quais outros exemplos poderia explanar sobre os últimos acontecimentos, não há palavras do nosso dicionário ou no alfabeto de 26 letras que descreva o índice , porém, vamos tentar compor numa frase para prognosticar a selvageria contida na palavra ódio, irmã siamesas de todos os adjetivos compostos e orgânicos do sentido da palavra ‘ódio’ de tão destrutivas que convertem as moléculas cerebrais, tão logo, ela é direcionada para destruir o semelhante, o ódio é uma força cega, motriz que tem na sua singularidade, destruir e matar.

Somente o amor constroi pontes, somente o amor resgata, só o amor liga-nos ao cosmos insondável do arquiteto do universo, só o amor elimina as fronteiras, baixa as bandeiras e une os povos. Somente a ciência, consciência e o conhecimento nos tirarás da ignorância e revela que somos todos irmãos, filhos de um único DNA, por isso, nossas características revelam que somos capazes de amar o nosso proximo, acolhe-la e jamais tocar ou feri-los, pois advertiu o criador que somos dotados de inteligência humana e espirito, sobretudo revestidos da cobertura de anjos, por isso quando fazemos o mal, estamos matando a nós mesmos.
O ódio é a matriz do mal e sua personalização depende de um portador humano que isano coloca-os em prática.
José Santana

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.