Trem de força

0 1.814

“O Campo de Provas da GM conquistou um novo patamar de protagonismo para a companhia devido às contribuições ao desenvolvimento de uma nova família global de veículos que está por vir. O Onix mostrou que a engenharia brasileira é referência mundial na concepção de carros compactos de sucesso”, explica Ricardo Fanucchi, diretor do Complexo.

Depois de anunciar no ano passado o plano de lançar uma F-150 totalmente elétrica, a Ford apresentou agora o primeiro protótipo da picape grande, que é o veículo mais vendido nos Estados Unidos há mais de quatro décadas. A marca norte-americana aproveitou a oportunidade para fazer uma demonstração inédita de força: o modelo aparece em um teste rebocando dez vagões de trem carregados com outras quarenta e duas F-150, com mais de 560 toneladas de peso. “As quarenta e duas picapes representam os quarenta e dois anos da F-150 como picape mais vendida da América”, explica Linda Zhang, engenheira-chefe da Ford F-150. Nenhuma outra picape já fez uma experiência como essa, elaborada em duas etapas. Na primeira, a F-150 elétrica rebocou dez vagões de carga com 453 toneladas por cerca de trezentos metros. Na segunda, repetiu a prova puxando o trem carregado com os quarenta e dois veículos. O vídeo feito na ocasião informa que o teste foi feito em local fechado, com profissionais habilitados e cercado de todos os cuidados de segurança. “Este teste mostra o nosso compromisso de manter a liderança absoluta em picapes e o nosso compromisso com o futuro dos veículos elétricos. A F-150 elétrica será uma picape inovadora e empolgante, com recursos que os clientes nunca viram”, acrescenta Ted Cannis, diretor global de Eletrificação da Ford. A marca norte-americana está estudando a possibilidade de trazer a F-150 “normal” para o mercado brasileiro.

O SUV que é um jipe

Após ser lançado em outubro do ano passado e de reassumir a liderança do concorrido segmento de SUVs em seguida, o novo Renegade chega à linha 2020. O utilitário esportivo da Jeep continua na ponta do mercado e fechou o primeiro semestre deste ano com 33.048 emplacamentos, ultrapassando as duzentas mil unidades comercializadas no Brasil desde seu lançamento, em 2015. Para manter o bom desempenho nas concessionárias, o Renegade traz novidades na linha 2020. A principal é a chegada das lanternas de leds, que passam a ser item de série desde a versão Longitude Flex. Todas as unidades Longitude (bicombustível e diesel) agora brilham mais com o conjunto óptico dianteiro de leds, formado pelos faróis principais e de neblina. Com fluxo luminoso 50% mais eficiente que as lâmpadas halógenas, o sistema de iluminação tinha entrado na linha 2019 do Renegade como opcional nas versões Longitude e equipamento de série nas configurações de topo de linha Limited (flex) e Trailhawk (diesel). O Renegade Sport 2020 recebeu alarme perimétrico de série e um novo pacote opcional chamado de Uconnect, formado por central multimídia de 7 polegadas compatível com Android Auto e Apple CarPlay, ar-condicionado digital dual zone (com opção de controle na tela) e sensores traseiros de estacionamento, tudo por R$ 4 mil a mais.

Laboratório de asfalto

O Campo de Provas da Cruz Alta da General Motors, localizado em Indaiatuba-SP, está completando quarenta e cinco anos de atividades em meio a ampliações para o desenvolvimento de veículos inéditos e tecnologias inovadoras de conectividade, segurança e eficiência energética. As novidades estarão nos próximos lançamentos da Chevrolet no país. Foram investidos nessa nova fase cerca de R$ 60 milhões, incluindo equipamentos para os sete laboratórios, como o de motores e de eletroeletrônica, e a construção da décima sétima pista de teste – ao todo, o complexo ocupa uma área equivalente a 160 mil campos de futebol. “O Campo de Provas da GM conquistou um novo patamar de protagonismo para a companhia devido às contribuições ao desenvolvimento de uma nova família global de veículos que está por vir. O Onix mostrou que a engenharia brasileira é referência mundial na concepção de carros compactos de sucesso”, explica Ricardo Fanucchi, diretor do Complexo. A recém-construída Rampa Estendida é outro exemplo de que o campo de provas está em constante modernização e ampliação. Com diferentes ângulos de inclinação para simular longas subidas, a nova pista está sendo utilizada para complementar os parâmetros de calibração de sistemas eletrônicos, que se tornarão mais comum em modelos de produção regional. A instalação auxilia ainda nos testes de durabilidade, melhorando a correlação com o uso em campo. Somadas, as dezessetes pistas se aproximam de quarenta e cinco quilômetros. Já os sete laboratórios, as oficinas e outras edificações de apoio ocupam uma área de 27 mil metros quadrados.

Fase de crescimento

Para comemora os sessenta anos do lançamento comercial do Mini clássico, em 1959, no Reino Unido, e os dez anos de presença no Brasil, a marca britânica pertencente ao BMW Group registra crescimento em vendas no mercado brasileiro. De acordo com dados divulgados pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), no primeiro semestre deste ano, a Mini acumula 793 veículos emplacados no país, ante 728 unidades vendidas em 2018, anotando um aumento de 8,9%. Considerando apenas o mês de junho deste ano, quando foram vendidos 134 veículos Mini, o crescimento é ainda mais expressivo em relação ao mesmo intervalo de 2018: 26,2%. No mesmo período, o mercado premium nacional se manteve quase estável. “O cliente busca cada vez mais tecnologia, qualidade, personalização, exclusividade e diversão, todas características da Mini no mercado global, presentes também no Brasil. O ‘Go Kart Feeling’ ganha novos adeptos e aproveito para agradecer aos clientes pela confiança e à nossa equipe – incluindo a Rede – pela entrega e pelo compromisso”, destaca Rodrigo Novello, diretor Comercial da Mini Brasil.

Casa própria

Antes de ir para a linha de produção, o novo Leaf enfrentou altas temperaturas, frio congelante, grandes quantidades de chuva e testes de resistência de carroceria. Para marcar o lançamento do carro no mercado brasileiro, a Nissan inaugurou em São Paulo a Leaf House. O espaço, localizado no Jardim Europa, na capital paulista, oferece experiências interativas que exemplificam as tecnologias presentes no modelo. Os visitantes podem conferir como o veículo elétrico pode se transformar em uma bateria sobre rodas, graças à tecnologia Vehicle-to-Grid (V2G) de carregamento bidirecional. Uma reprodução do Leaf em acrílico mostra como as baterias fornecem energia para o motor impulsionar o carro. A casa dá a oportunidade ainda para o público, gratuitamente, espaço para “coworking”, café, bicicletário, totens para carregamento de carros elétricos (não apenas da Nissan) e test-drive do Leaf, que é vendido no Brasil por R$ 195 mil.

Aprimoramento profissional

O site de vendas de automóveis “iCarros” lançará em agosto a “Garagem do Conhecimento”, uma plataforma de ensino à distância para treinar profissionais de todo o Brasil para aprimorar as técnicas para a venda de veículos. A iniciativa tem parceria com a Escola de Gestão Automotiva, patrocínio do Itaú e apoio da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto). A plataforma disponibilizará uma média de seis cursos por mês, totalizando mais de setenta anuais. “Em um mercado cada vez mais tecnológico, larga na frente quem souber utilizar da melhor forma as informações para incrementar suas ofertas de forma planejada, agregando valor à jornada do cliente. Nosso objetivo é criar uma relação mais firme entre o digital e as lojas de veículos por meio de cursos rápidos e dinâmicos que ensinarão a estimular o uso de ferramentas digitais para gestão, uso de dados e desburocratização de processos”, diz Ricardo Bonzo Filho, CEO do “iCarros”. Os interessados podem fazer a inscrição gratuita pelo e-mail atendimento@icarros.com.br. As lojas que tiverem interesse podem entrar em contato com o consultor “iCarros” para adquirir o produto

As diferenças das trações

Os dois tipos de tração simples – dianteira e traseira – têm vantagens e desvantagens. A força motriz nas rodas da frente é usada para proporcionar um chassi mais compacto, pois muito pouco espaço é necessário para a instalação do sistema porque motor e rodas estão colocados próximos, no caso de um veículo com propulsor na dianteira (a maioria). Um túnel central e um chassi maior não são necessários. Essas duas estruturas estão presentes nos carros com tração traseira. Devido a sua melhor tração e distribuição de peso, veículos com tração dianteira são preferidos na condução na lama, na neve ou na chuva, não se comparando, evidentemente, aos dotados com 4x4 (integral). Uma grande vantagem da tração traseira é na aceleração, pois as respostas são mais rápidas em comparação à dianteira. Outros pontos positivos da tração atrás é um melhor raio da direção do carro, melhor estabilidade em piso seco, melhor frenagem, maior capacidade de reboque e manutenção mais barata. A tração dianteira contempla veículos com motor transversal, enquanto na traseira o propulsor é longitudinal.

Pit stop

Criadas nos Estados Unidos, as lojas de conveniência estão estreitamente ligadas aos automóveis e a seus usuários. Palestras sobre o tema integram a programação da ExpoPostos & Conveniência – 14ª Feira e Fórum Internacional de Postos de Serviços, Equipamentos, Lojas de Conveniência & Food Service, de 13 a 15 de agosto, em São Paulo. Em 2018, segundo os dados do Anuário da Plural (Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência), o faturamento do segmento brasileiro fechou o ano com um total de 8.030 pontos de vendas e R$ 7,54 bilhões no caixa. 
por Daniel Dias
Agência AutoMotrix

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.