Uma sociedade “civilizada” de replicadores de calúnias e de difamações

0 86

A sociedade é civilizada, mas distante de uma humanidade evoluída
Numa sociedade civilizada, a ideia que saímos da ignorância, contudo, estudos mostram que estamos distantes de uma humanidade evoluída, numa sociedade evoluída não há espaços para inveja, fofoca, difamação, calúnia e homicídio. A calúnia e a difamação são irmãs da ignorância e de todos os seus desdobramentos, pois, ambas diferem ligeiramente uma da outra, a difamação é um ataque escrito do caráter; a calúnia é falada apenas, espalhada, “fake new” uma mentira repetida várias vezes ao dia, até que pareça ser verdadeira.

Não dê ouvidos às intrigas, fofocas e a calúnias; só a árvore frutífera que é apedrejadas. A arvore estéril ninguém se interessa ao não ser para cortá-la pela raiz para fazer lenha ou carvão. Não pare seus serviços por causa da língua grande dos expectadores, eles bravejam para tirá-lo do foco, para desestabilizá-lo, a missão dos fofoqueiros e dos caluniadores é torná-lo igual a eles, lhe criticam, fazem fofocas, lhe caluniam, praticam todas as espécies de discriminação e de exclusão no intuito de desviá-lo do seu foco e do objetivo. Essas pessoas são aos montes, não trabalham uma ideia, não colocam em prática um projeto e não executam uma atividade que beneficie o coletivo, são extremamente egoístas e maldosas ao extremo.

Quando estiver sobre fogo cruzado, quando te jogarem no isolamento, quando te apontarem com os dedos, quando balancearem as cabeças, saiba neste momento que és alvos dos caluniadores, dos canalhas e dos inimigos do bem e da justiça. Não dê bom dia a cavalos, eles não entendem, não arrisque seus planos, não conte nada das suas estratégias, faça em segredo, trace a meta e execute paulatinamente o plano, coloque em prática todos os dias, como em um passo a passo, seja um bom ouvidor e tardio ao tomar as decisões, quando souber que um caluniador está por perto, faça entender que ele não saiba, o cumprimente, dê atenção, fale somente o necessário, eles são como corvos carniceiros, sempre na empreita, a espera de uma oportunidade, de um vacilo para encendiar a lavoura. Não pense neles, pense somente na sua meta, pense no quando a semente florescer darás frutos para sua família e para todos os demais, inclusive para os plantonistas que ficam ao derredor esperando que a árvore amadureça para que eles possam apedrejá-las e também colher dos seus frutos!

Como o Sol é para todos, somos o que plantamos, a colheita mostrará os frutos das suas escolhas, se plantou vento, não pode esperar colher outra coisa, se não tempestades! Os caluniadores, os fofoqueiros, os invejosos, são pessoas de mente vazias e desocupadas, este tipo de mente não coopera, colabora, não são proativas, vivem no negativismos são pobres de espíritos, não conseguem sugerir, cooperar ou somar.

Então, ajude sem interferir, não imponha a sua vontade, aprenda a respeitar a vontade do outro, então coopere com todos, mas sem interferir em sua maneira especial de agir, de produzir, de pensar e ser, não poderá mudar nada, só pode ajudar, por isso, temos mais espectadores do que protagonistas, pouco agem e muitos assistem torcendo para dar muito errado, “se eu posso atrapalhar porquê devo ajudá-lo”. Não derrube seu irmão, comece ajudando a levantá-lo, quando encontrar um caído, nunca diga avisei, se tivesse me ouvido, não critique, pois quem és para fazer tal julgamento, és perfeito? – ajude-o a erguer-se, tal como gostaria que fizessem com você, se estivesse na mesma circunstância!

Jesus Cristo, é um exemplo a ser seguido de líder, quando a mulher apanhada em adultério e disseram que na lei Moisés que tais mulheres sejam apedrejadas; tu, pois, que dizes Jesus?, esperou um pouco, o Mestre, e disse, “quem não tem nenhum pecado atire a primeira pedra”, saíram todos com a consciência pesada, erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém mais além dela, perguntou-lhe, onde estão teus acusadores? Ninguém te condenou? Respondeu ela: Ninguém, Senhor! Então, disse Jesus: Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais.

A calúnia tem sede de sangue, destruição e morte, ela difere ligeiramente da difamação porque a difamação é um ataque escrito do caráter; a calúnia é falada apenas, espalhada, “fake new” uma mentira repetida várias vezes ao dia, até que pareça ser verdadeira.

Poderia usar diversos exemplos para falar sobre os caluniadores, os denegridores de reputações, pois, a calúnia vem do coração vazio e maldoso, e quando estas pessoas são tentadas a falar falsidades sobre outras, muito pouco se pode fazer, deveriam primeiro examinar sua consciência, como os acusadores de Maria Madalena, para ver que quais árvores estão atirando suas pedras. Jesus disse: “Mas o que sai da boca vem do coração, e é isso que contamina o homem. Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias” (Mateus 15:18-19).

“As consequências são danosas a sociedade, o que pode começar como algo pequeno em um grupo de Whatsapp ou em uma página na internet pode acabar com a vida das pessoas. A autônoma Sarah Monteiro, do Pará, ficou um mês sem sair de casa após uma falsa montagem pornográfica que circulou pelas redes. Já Aninha Moura, do Piauí, foi morar a 1.500 km de sua cidade natal para tentar recomeçar a vida após uma corrente que a acusava de espalhar o vírus HIV a homens. O comerciante Luiz Aurélio, do Rio, teve o seu carro incendiado após um boato de sequestro de crianças. A dona de casa Fabiane Maria de Jesus, de São Paulo, foi vítima de uma história semelhante e morreu espancada” G1.

No Código Penal brasileiro, essas implicações legais ligadas a boatos se enquadram nos chamados crimes de honra: Calúnia: Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime. Pena: detenção de seis meses a dois anos e multa. Difamação: Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação. Pena: detenção de três meses a um ano e multa. Injúria: Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro. Pena: detenção de um a seis meses e multa. Penso que estas punições do CPP, são aquém aos danos, os legisladores poderiam alterar as penas, elevando sua punibilidade para aos menos cinco anos de pena e multas aos caluniadores, difamadores e injuriadores que praticarem estes tipos de crimes.

José Santana

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.