VÉIO DA HAVAN LEVA LAMBADA DA JUSTIÇA

Luciano Hang é condenado pelo JUSTIÇA por coagir funcionários a votar em candidato da sua preferencia

0 393

Processo N. 0601434-39.2018.6.00.0000:  O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) condenou em caráter definitivo o empresário Luciano Hang, dono das lojas Havan, “propaganda eleitoral irregular” por ter coagido funcionários de sua rede de lojas a votar em Jair Bolsonaro nas eleições de 2018.

Conforma sentença proferida no último dia 13, o TSE publicou decisão que colocou termos finais ao  processo,  não cabendo mais recurso a Hang. Porém, a única pena imposta a Hang é o pagamento de uma multa de R$ 2 mil, acrescida de juros e correções.

No início de outubro do ano passado, Hang gravou um vídeo no  interior de uma de suas lojas, falando a seus clientes e funcionários,  que tudo ouviam pelo sistema de som do local. Ele disse:  “Todos sabem a minha posição. Eu sou Bolsonaro! Bolsonaro! Quero uma  salva de palmas”. Na sequência, pediu a todos que saudassem aquele  candidato, em coro: “Bolsonaro! Bolsonaro! Bolsonaro!”. E conclui em  pedido de voto: “Pra esse Brasil mudar, pra esse Brasil melhorar,  Bolsonaro Presidente”

O ministro Sérgio Silveira Banhos explicou que, “embora o ato veicule manifestação espontânea do pensamento, particulariza-se pela intenção de persuadir, de forma propositada e sistemática, com fins ideológicos, políticos ou comerciais, as emoções, atitudes, opiniões e ações de públicos-alvo através da transmissão controlada de informação parcial através de canais diretos e de mídia”.

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.