VIOLÊNCIA E ABUSOS DE AUTORIDADES SÃO REGISTROS DE CENAS DE HORRORES EM SANTA CATARINA

ONG OLHO VIVO DENUNCIA EM AUDIÊNCIA PERSEGUIÇÃO POLICIAL EM ITAPEMA

0 586

Atualização 03/04/2019: O jornalista Elias Costa Tenório, membro e representante  da ONG Olho Vivo, Organização do voluntariado para o combate a corrupção, defesa dos Direitos humanos, Ambientais e Civis,  manifestou a palavra na audiência pública convocada pela Comissão de Direitos Humanos, da ALESC, no dia 27/03, e denunciou através de uma narrativa os casos envolvendo abusos de autoridade em Itapema, o vídeo, somente foi disponibilizada hoje, 03/04/2019, pela Entidade para publicação e encaminhada para MNU, bem como, aos organizadores e a outras Entidades e Instituições de defesa da dignidade humana envolvidas no combate a violência policial em Santa Catarina.

“Na fala o representante da Olho Vivo, Tenório, denunciou que já foi vítima de perseguição policial em Itapema e que há um processo em curso para apuração, de outro modo, o jornalista preservou os bons policiais, aqueles que representam bem a farda como manto da lei e da ordem, porém, os maus policiais que agem em desconformidade e violam a dignidade humana deverão estes deixarem a farda, sobretudo, serem responsabilizados pela lei, concluiu.

VIOLÊNCIA E ABUSOS DE AUTORIDADES SÃO REGISTROS DE CENAS DE HORRORES EM SANTA CATARINA

Abuso de poder da polícia Militar

A Comissão de Direitos Humanos da ALESC, realizou nesta quarta-feira (27/03), às 19h30, audiência pública para discutir a adoção de medidas coercitivas violadoras de direitos e da dignidade humana e suas consequências judiciais, sociais e econômicas por parte do sistema de Justiça e da Polícia Militar.

 

 

Audiência pública realizada, no Auditório Deputada Antonieta de Barros,  na ALESC, reuniu cerca de 500 manifestantes para manifestar contrários aos abusos de autoridades em operações da Polícia Militar no Estado, os casos vão de violência gratuitas, torturas, tiros de borrachas, assassinatos de jovens negros, invasão de domicílios sem ordem judicial, toque de recolher, ameaças e sequestros de opositores as ações “desastradas” de  “PM”. Os relatos vão ao extremos dos horrores,  Samara, jovem e gestante denuncia que teve que servir de escudo de uma criança de 12 anos, espancada até ficar desacorda em sua casa por Policiais, “sorte foi os moradores que fizeram os primeiros socorros, senão teria vindo a óbito” registrou o fato.

Na tribuna do Auditório,  depoimentos de horrores de vítimas, lideranças e entidades civis organizadas impactaram os presentes, denúncias preocupantes e de causar pânico em pleno século XXI.  As reclamações apresentadas foram de violência sexual, torturas, assassinatos e de todos os tipos de violações da dignidade e dos direitos constitucionais foram destacados por vítimas na Audiência Pública. “Na calada da noite, fala por nós, o que a polícia faz a meia noite, batendo na janela de casa de moradores, metendo o pé na porta, fazendo averiguações? então, eles voltam na madrugada para terminar o serviço, denuncia representante de comunidade negra.

Destaque foi para Itapema, única cidade do interior citada por vítimas e ativistas que denunciaram toque de recolher, invasões após as 18h00 em residências e agressões contra moradores do bairro Tabuleiro em Itapema, protestou a representante no MNU Movimento Negro Unficado, Vanda Gomes Pinedo

Secretário de Segurança Pública – Coronel Carlos Alberto Araújo Gomes, reconhecem manifestação e assume compromisso de junto com Comissão trabalhar para solução, sobretudo, apurar as denúncias feitas por vítimas e lideres comunitários..

Na tribuna do Auditório, vozes de vítimas chocaram as várias Autoridades políticas, do Ministério Público, Polícia Militar, OAB/Defensorias Públicas que compunham a mesa diretora,  eles podem ser assistidos nos vídeos abaixo destacados…

Mesa diretora composta pela  Marcha Mundial de Mulheres e ex Presidenta do Conselho Municipal de Florianópolis LGBT: Guilhermina Cunha Salazario

Instituto Padre Vilson – Padre Vilson Groh –  Religiões de Matriz Africana – Vanda Pinedo

Alzemiro Matias – Indígena Kaingang da casa de passagem

Secretário de Segurança Pública – Coronel Carlos Alberto Araújo Gomes

Deputado Estadual e membro da comissão de direitos humanos – Jessé Lopes

Matheus Felipe de Castro – Presidente da comissão de direitos humanos da OAB/SC

Subdefensor Público Geral – João Joffily Coutinho

Comandante da guarda Municipal Ivan da Silva Couto Junior

Daniel Paladino – Promotor de Justiça do ministério público de SC

Presidente da comissão de direitos humanos : Deputada Ada de Luca

Secretaria de Assistência Social Trabalho e Habitação: Maria Elisa da Silveira de Caro

‘SUBPROCURADOR ABRIRÁ PROCESSO PARA APURAR ABUSOS EM BAIRRO DE ITAPEMA’

JoãoNOTA: Hoje 29/08 a reportagem da Folha do Estado através da publicação acima atualiza os dados atuais referente as denúncias, depoimentos e aos vídeos de manifestações de vítimas na Audiência Pública, traz novos fatos, o subdefensor público, JOÃO JOFFILY COUTINHO, se compromete com representante no (MNU) Movimento Negro Unificado, Vanda Gomes Pinedo, de instaurar procedimentos para apurar a caso envolvendo as denúncias relacionadas ao bairro Tabuleiro em Itapema.

 

Veja íntegra de alguns vídeos selecionados abaixo com denuncias gravissímas de abusos da polícia contra negros e pessoas …

Líder de movimento negro catarinense denuncia PM de Itapema…

 

Depoimento denuncia violência policial———————————–

Matheus Felipe de Castro – Presidente da comissão de direitos humanos da OAB/SC, lamenta e coloca-se a disposição para fazer encaminhamentos importantes para diagnosticar causa e estancar violência e abusos denunciados…

Alzemiro Matias – Indígena Kaingang da casa de passagem

Daniel Paladino – Promotor de Justiça do ministério público de SC

Secretário de Segurança Pública – Coronel Carlos Alberto Araújo Gomes, pede desculpas, reconhecem manifestação e assume compromisso de junto com Comissão trabalhar para solução, sobretudo, apurar as denúncias feitas por vítimas e lideres comunitários.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.