Você faz parte da corrupção micro ou da corrupção macro?

0 187

A abertura de várias CPIs/CPP, bem como as condenações de ex-prefeitos de Itapema com retirada dos direitos políticos, cassação do diploma e até a prisão com sentenças condenatórias transitadas em julgadas, tem revelado o alto grau de periculosidade que consistem no agentes corruptos, contudo, tivemos inúmeras operações contra o crime organizada e de colarinho branco em Itapema, porém, apesar dos diversos alertas pedagógicos os trapaceiros seguem diuturnamente tramando contra os cofres dos contribuintes, contra os interesses maiores e mais sagrados da sociedade a luta pela melhoria da qualidade de vida.

A Lutar contra a corrupção, não é de hoje, e não será vencida tão fácil, tão longo, como dizia o centenário Rui Barbosa, “De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.”

O combate a corrupção se tornou um mantra das vozes em todos os cantos do país, com a chegada das plataformas digitais, travou-se uma luta diuturna contra os malfeitores, nos últimos anos, onde observamos o envolvimento de companhias consagradas em seus segmentos em esquemas fraudulentos multimilionários, outrossim, vale ressaltar que as pequenas corrupções alimentam um sistema ainda maior formando em tempo real líderes políticos, profissionais liberais, empresários, servidores públicos, agentes dos poderes legislativo, executivo e judiciário em quadrilhas organizadas e treinadas com sistemas sofisticados de sonegação fiscal, desvio de finalidade, licitações direcionadas, favorecimento ilícitos, advocacia administrativa, apadrinhamento, nepotismo, o suborno, extorsão, fisiologismo, nepotismo, clientelismo, corrupção e peculato, etc.

Dito isto, exploro tudo o que há dentro do universo da corrupção, encontra 4 pontos chaves que, de forma geral, representam o que uma empresa precisa para iniciar um esquema fraudulento para saquear os cofres públicos do Município, do Estado e da Nação, são eles a Corrupção ativa; Corrupção passiva; Corrupção preditiva; Corrupção lateral e pior de todas a Omissão passiva e ativa.

O quinto elemento, a omissão pode ser encontrada no tecido da sociedade, está em todos os lugares, considerando que as corrupções diretas causam grandes baixas na qualidade de vida e no desenvolvimento socioeconômico, elas são realizadas e administradas por pessoas que possuem um alto grau de psicopatia, lendo o livro da autora Ilana Casoy, Serial Killer, pude fazer uma leitura da mente dos corruptos qualificados na corrupção ativa: Aqueles que promover a oferta de valores como uma forma de favorecer o interesse próprio, bem como outras formas de corrupção. E, passiva aquela que se aplica parcerias e desenvolvimento de grupos de interesses maior do que o necessário.

Essas mentes são doentias e eles não sentem nenhum remorso ou penas de suas vítimas, elas sentem prazer e orgulho em comandar grandes esquema de corrupção, lavagem de dinheiro, garganteiam aos seus pares as suas habilidades em manipular a confiança dos cidadãos e passarem despercebidos pelo estado fiscal. Nossa sociedade é tão omissão quanta a corrupção, que há um perfil de políticos que antes mesmo de disputar uma eleição, já se corrompe, na analogia comum, sabendo que potencial que tem o candidato de vencer as eleições, ele é assediado com ofertas de apoios casados, podemos definir estas trapaças hediondas como uma característica da corrupção preditiva o envolvimento de empresários com um ou mais grupos políticos (partidos) e que possam estar envolvidos com a corrupção, podendo se corruptor ou corrompido.

Uma das primeiras medidas que posso citar é a lei n° 12.846/13, a famosa lei anticorrupção e você pode entender um pouco mais sobre ela refletindo sobre este artigo, a referida lei encontra respaldo em outra lei importante, que serve como agente moderador, a lei n° 12.683/12, que é bem conhecida como a lei de lavagem de dinheiro que visa punir os agentes corruptores, sendo eles pessoas físicas ou jurídicas, que ocultam a natureza dos recursos.
Não nos faltam leis para combater a corrupção, o que falta para pôr definitivo formatarmos uma sociedade inimiga da corrupção e amiga da legalidade?

A educação fundada em principio éticos, morais e cívicos, poderia desnudar os crimes que a nossa sociedade omite no seu dia-a-dia, a exemplo de não fornecer nota fiscal; sonegar impostos; falsificar carteirinha de estudante; subornar policial; colar em sala de aula, comprar a carteira de motorista; aceitar troco errado; fazer hora no trabalho para ganhar ‘hora extra; furar fila; desrespeitar lugares reservados; dirigir sem habilitação e alcoolizado, dentre tantos outros que poderíamos fazer uma lista de centenas deles, que todos os dias, a nossa sociedade, oculta e é omissão e conivente a corrupção micro generalizada e financiadora da corrupção macro.

Por isso, e para tentar contornar algumas dessas situações e causar uma reflexão em todo o mundo, a Organização das Nações Unidas (ONU) estipulou no dia 9 de dezembro, o Dia Mundial de Combate à Corrupção.

Dentro deste embaralhado mundo de ilicitudes, eivados de todas as espécies de corrupção, essa sociedade hipócrita por não fazer uma autocrítica, por ela cobrar o macro e se esquecer do micro, que ela é a escola os mestres que formam o típico corrupto que caem sobre as lentes dos escândalos do dia de amanhã nas manchetes de jornais, revistas, rádios e Tvs.

José Santana – jornalista no portal de notícias (Folha do Estado)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.